O volume financeiro de cheques devolvidos no Brasil teve redução de 3,2% em 2004, na comparação com o ano anterior, mostra levantamento da Telecheque. De acordo com a empresa especializada na gestão de risco e concessão de crédito, do total de transações com cheques, a inadimplência foi de 2,30% no ano passado, ante 2,37% em 2003.

Quanto aos cheques honrados, entre janeiro e dezembro de 2004, o total foi de 97,05%, resultado apenas 0,1% superior ao de igual período do ano anterior (96,96%). O volume de cheques roubados respondeu por 0,64% do total e foi 3,1% menor do que o resultado de 2003 (0,66%).

A pesquisa da Telecheque mostra que os pagamentos à vista sofreram queda de 0,4% em 2004, com um total de 32,65% de transações com cheques, bem próximo ao de 32,78% verificado no ano anterior.

Nas negociações com cheques pré-datados, a inadimplência aumentou 0,2%, com um total de 67,35% de cheques devolvidos em 2004 (67,22% em 2003). Segundo a Telecheque, o mercado foi muito mais arrojado na concessão de crédito e prolongamento dos planos de pagamento, o que explica as constantes elevações dos índices de cheques pré-datados ao longo dos meses.

Comparação semestral – O estudo da Telecheque mostra que na comparação entre os dois semestres de 2004, o índice de cheques devolvidos caiu 13,8% na segunda metade do ano, sobre os primeiros seis meses do período, o que também ocorreu em 2003, quando houve declínio de 8,9%.

O índice atingiu 2,49% no primeiro semestre de 2004, resultado 0,8% menor em relação ao dos primeiros seis meses 2003 que ficou em 2,51%. Já no segundo semestre do ano passado, quando o índice de cheques devolvidos atingiu 2,14%, houve uma queda mais acentuada (de 6,1%) em relação ao mesmo período do ano anterior (2,28%).

Tradicionalmente, o primeiro semestre tem índices de inadimplência superiores aos da última metade do ano, pois reflete o excesso de despesas com os cheques pré-datados do Natal do ano anterior. Já no segundo semestre, a empresa destaca que o consumidor se preocupa em quitar as dívidas para reabilitar seu nome e voltar a ter crédito para as compras de fim de ano, o que resulta na queda dos cheques devolvidos.

Ranking por Estado – Na classificação por Estado da Telecheque, os piores índices de inadimplência em 2004, foram registrados por Amazonas, Rio Grande do Norte e Pará. O total de cheques devolvidos no Amazonas (3,86%) foi 2,3% menor do que o verificado em 2003 (3,95%).

No Rio Grande do Norte, o ano de 2004 teve inadimplência de 3,40%, inferior 0,3% ante 2003, que ficou em 3,41%. No Pará, o índice de inadimplência atingiu 3,26%, queda de 5,5%, na comparação com o ano anterior, quando o número de cheques devolvidos ficou em 3,45%.

Em 2004, os melhores pagadores foram os Estados de Santa Catarina (98,13%), Paraná (97,64%) e Goiás (97,51%). A inadimplência com cheques em Santa Catarina foi de 1,49%, menor 6,3% que o resultado de 2003 (1,59%). No Paraná, o volume de cheques devolvidos no ano passado ficou em 1,81%, número 2,2% inferior ao índice do ano anterior (1,85%). Em Goiás, a inadimplência caiu apenas 0,5% em 2004 (1,93%) em relação a 2003 (1,94%).