O líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), negou nesta terça-feira (21) que tenha sido repreendido pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso por ter revelado à imprensa um possível convite do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a seu antecessor para uma conversa no Palácio do Planalto. Ontem, Fernando Henrique disse a amigos que o convite "é uma bobagem". Também julgou uma impropriedade que o eventual chamado tenha sido divulgado antes que o próprio convidado fosse informado e que a agenda do encontro fosse divulgada pelo anfitrião.

"Não houve absolutamente nada disso", afirmou Virgílio em uma nota. "Nosso relacionamento é muito respeitoso, fraterno, solidário", acrescentou. Segundo a nota, ontem, "num telefonema muito cordial", Virgílio relatou ao ex-presidente os pormenores da conversa que teve com Lula no sábado.

Virgílio também respondeu às críticas de colegas do partido e da oposição de ter aceitado carona do presidente Lula no avião presidencial, no sábado, com outros senadores que estavam no velório de Ramez Tebet, em Três Lagoas (MS). "Fato normal numa democracia", resumiu Virgílio.