Outros vinte e três ativistas italianos ligados ao movimento “anti-globalização” foram presos na manhã desta quarta-feira, 4 de dezembro. A medida dá seqüência às prisões de 14 ativistas no dia 15 de novembro – ativistas que foram justamente liberados no dia anterior às novas prisões.

As acusações dessa vez incluem vandalismo, roubo, posse de armas e material explosivo, resistência à prisão e agressão a policiais. Todas as acusações dizem respeito aos protestos em Gênova contra o G8, em 20 e 21 de julho de 2001.

No mesmo dia em que a prisão dos ativistas foi decretada, começa a ser discutido o arquivamento do caso Placanica – policial acusado de assassinar o ativista Carlo Giuliani. Em diversas cidades italianas estão previstos protestos contra as prisões.