A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulgou hoje uma síntese da prévia da 155ª
Sondagem da Indústria de Transformação (IBRE/DGD), referente ao período de
fevereiro a abril de 2005. Segundo a síntese anunciada pela instituição, entre
as informações coletadas pela FGV, nota-se ter havido um aumento no número de
quesitos da pesquisa cujos resultados se comparam desfavoravelmente com os das
últimas edições e com os do mesmo período do ano anterior. Ainda de acordo com a
síntese "os números continuam compatíveis com a sustentação do ciclo atual de
expansão, mas indicam tendência de desaceleração nas taxas de crescimento da
indústria".

Ao falar das previsões para o futuro, a FGV informou ainda
que, no trimestre abril-junho de 2005, ou seja, no segundo trimestre, a procura
por produtos industriais aumentará, segundo previsões de 50% das empresas, e
diminuirá para 10% delas. "Em abril de 2004, estas opções de resposta haviam
sido apontadas por, respectivamente, 53% e 10% dos informantes", detalhou a FGV
no comunicado.

A instituição informou ainda que a situação dos negócios
melhorará, nos próximos seis meses, para 47% das empresas pesquisadas, e piorará
para 9% das empresas analisadas pela pesquisa. "Em 2004, na mesma época do ano,
62% previam melhora e 6% piora", esclareceu a FGV, em sua síntese.