Um motorista de aplicativo e dois passageiros que eram transportados no veículo ficaram feridos, na noite deste sábado (17), em uma confusão registrada nas proximidades da Arena da Baixada após a vitória do Athletico sobre o Atlético-MG por 1 a 0.

+Leia também: Siate chega rápido, mas não a tempo de salvar mulher de grave acidente em Curitiba

Carro ficou completamente depredado. Foto: Reprodução/Whatsapp
Carro ficou completamente depredado. Foto: Reprodução/Whatsapp

Segundo testemunhas, cerca de 30 torcedores do Furacão atiraram pedras no carro após verem que os dois passageiros que estavam dentro do veículo era torcedores do Galo e vestiam camisetas do time. O carro ficou completamente depredado e o motorista do aplicativo, que levava os passageiros embora do estádio, também ficou ferido.

A situação aconteceu na Rua Ângelo Sampaio, entre as ruas da Petit Carneiro e Brasílio Itiberê, região do entorno do estádio. Ainda de acordo com testemunhas, as três pessoas foram encaminhadas com ferimentos ao Hospital do Trabalhador.

+Leia também: Com pressa, homem rouba ambulância e é seguido por viaturas e helicóptero em Curitiba!

Tanto o motorista quanto os passageiros ficaram feridos. Foto: Reprodução/Whatsapp
Tanto o motorista quanto os passageiros ficaram feridos. Foto: Reprodução/Whatsapp

Outra confusão antes do jogo

Antes do jogo, houve uma briga entre as torcidas organizadas dos clubes na Rua Coronel Dulcídio. A torcida do Furacão é rival da torcida do Atlético-MG, que tem aliança em Curitiba com a organizada do Coritiba.

Nesta situação, segundo a Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe), um menor e um maior foram encaminhados à delegacia. O maior assinou um termo circunstanciado e foi liberado. O menor foi ouvido e também liberado.

Curiosamente, as situações acontecem logo no primeiro jogo após o Athletico ter acabado com a torcida humana, que era válida desde o ano passado e previa que apenas torcedores do Furacão usassem camisas no estádio.

Vítima de explosão em apartamento fala da tragédia. “Uma bomba dentro da nossa casa”