Um homem de 37 anos foi libertado pela Polícia Civil de cárcere privado em uma boate de Curitiba na última segunda-feira (20). A vítima passou quatro dias impedida de sair de um quarto por supostamente não pagar a conta do que teria consumido no estabelecimento. Seis pessoas – dois homens e quatro mulheres – foram presas suspeitas de cárcere privado e extorsão mediante sequestro.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Investigadores do 10.° Distrito Policial iniciaram a apuração após o homem fazer contato com a esposa por mensagens de celular. Ele foi à boate quinta-feira (16) por conta própria. Ao ir embora, funcionários do estabelecimento disseram que ele teria que pagar uma conta de R$ 30 mil para sair.

+ Leia mais: Acusado de erro e abuso sexual, médico de Curitiba perde o registro

“Pelo alto valor, tudo indica que ele não gastou essa quantia na boate”, afirma o delegado Rinaldo Ivanike, que comandou a investigação.

A vítima chegou a pagar R$ 9 mil no cartão. A partir de então, o homem ficou impedido de sair e passou a enviar mensagens para a esposa solicitando que conseguisse o restante para ser libertado. “A comunicação pelo celular com a família foi permitida justamente para que ele conseguisse levantar o dinheiro com a família e ser solto”, aponta Ivanike.

Outro homem que estava com a vítima na boate foi liberado no mesmo dia para que também fosse atrás dos R$ 30 mil exigidos.

Mensagens enviadas pela vítima para sua esposa. Foto: Divulgação/Polícia Civil
Mensagens enviadas pela vítima para sua esposa. Foto: Divulgação/Polícia Civil

 

Ação da polícia

A família chegou a acionar o Tático Integrado de Grupos de Repressões Especiais (Tigre), equipe de elite da Polícia Civil especializada em casos de sequestro, que prestou apoio aos policiais do 10.° DP.

+ Leia também: GM acha dois baleados em ‘ponto de desova’ no zoológico de Curitiba

Segunda-feira o primeiro suspeito de envolvimento no caso foi preso e então a polícia chegou à boate. Quando os policiais chegaram na boate, o delegado explica que os seguranças disseram que a vítima não estava no estabelecimento. Mas ao entrarem, o homem foi encontrado trancado em um quarto, vigiado por três pessoas do lado de fora.

“Ele estava preso no quarto quando a polícia chegou. A família tentou ir até a boate, já que além do pedido de dinheiro a vítima também chegou a ser ameaçada”, relata o delegado.

Foto: Divulgação/Polícia Civil
Foto: Divulgação/Polícia Civil

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Faculdade fecha em Curitiba e ‘bomba’ fica pra ex-alunos