enkontra.com
Fechar busca

Publicidade

Curitiba

Faculdade fecha em Curitiba e ‘bomba’ fica pra ex-alunos

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná
Escrito por Lucas Sarzi

Desde o começo do ano letivo, estudantes da Faculdade de Tecnologia Machado de Assis, popularmente conhecida como FAMA, têm enfrentado um dilema que coloca em jogo a formação e até mesmo a vontade de seguirem estudando: não sabem como vai ser a continuidade dos estudos. Isso porque a faculdade fechou os cursos presenciais, encaminhou todos os alunos ao Centro Universitário UniBrasil e deixou a bomba para que os estudantes resolvam com a nova instituição.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

A denúncia foi feita por dois estudantes, que procuraram a Tribuna do Paraná para contar o que aconteceu. Segundo uma delas, que pediu para não ser identificada porque tem medo de que isso a prejudique de alguma maneira, os alunos só souberam da “novidade” no dia em que voltariam a estudar. “Ninguém nos comunicou antes, até mesmo para que pudéssemos nos preparar. Deixaram chegar o primeiro dia de aula e, com isso, não só nos trouxeram um baita problema, como também fizeram com que não pudéssemos começar a estudar no período certo”.

A jovem, que está no último ano de pedagogia, começou os estudos em 2015. “Quando começamos, a faculdade já tinha alguns problemas, mas nunca foi algo tão grave, dava para levar. Neste ano, quando foi para começar as aulas, nos reuniram e disseram que tinham transferido todo mundo para o UniBrasil. Aí começaram os problemas”, detalhou.

+ Caçadores: Ex-morador de rua conta como persistiu, superou obstáculos e mudou de vida

Com a explicação de que não poderiam mais continuar as atividades, a faculdade informou os alunos que todos deveriam seguir com os estudos na nova instituição. “Mas aí começamos a ver muitos problemas, o primeiro deles, por exemplo, o valor da mensalidade”.

Ao chegar para ver sua situação na UniBrasil, a jovem soube que, pela troca de instituição, obviamente o preço mudaria também. “Mas quando passaram para a gente que haveria a mudança, disseram que o valor que pagávamos na FAMA seria mantido. Acontece que a UniBrasil confirmou que manteria o valor até o fim do primeiro semestre, depois as mensalidades seriam ajustadas”.

+Caçadores! Patinetes: opção ágil e divertida pra se locomover pelas ruas da cidade

No caso da estudante, assim como com outros alunos, os boletos aumentaram de preço ainda no primeiro semestre. “Eu paguei até fevereiro para a FAMA, mas estou com boletos da UniBrasil ainda sem pagar porque todas as cobranças que vieram para mim estão bem acima do que pagava antes. Estou guardando o dinheiro das mensalidades, mas ainda não sabemos como isso vai ficar”.

Conforme a estudante, a decisão da UniBrasil, após o fim do primeiro semestre, seria a de adaptar os valores cobrados pela FAMA. “Iriam avaliar uma forma de não cobrar o mesmo preço da UniBrasil, já que os valores de lá são bem maiores que os da FAMA, mas teria aumento sim”.

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná

Histórico com falhas

Além da questão dos valores das mensalidades, os alunos enfrentaram também a questão do histórico escolar, que em alguns casos nem existia e, em muitos deles, o documento estava incompleto. “No meu caso, praticamente metade dele não existia. Eu só consegui ajeitar a situação porque eu controlava todas as minhas notas e informações, tinha tudo, então facilitou. Mas tem muita gente que teve problema porque o histórico veio com notas erradas, não tinha nota ou simplesmente não existia”.

Como estava no último período, na fase em que os estudantes produzem o trabalho de conclusão de curso, conhecido como TCC, a jovem ainda conseguiu negociar com a UniBrasil e sua situação não ficou tão complicada: pelo menos o TCC ela continuou fazendo. “Mas não sabemos como vai ficar a questão do diploma, por exemplo. A FAMA disse que seria pela UniBrasil, mas na UniBrasil diz que é pela FAMA”.

+ Caçadores: Conheça o instrutor que treinou até os soldados que pegaram Bin Laden

A estudante disse que sentiu ainda mais medo quando viu que tem alunos antigos que ainda não pegaram seus diplomas. “Fui à FAMA para resolver a situação do histórico e encontrei alguns alunos, de cursos de três anos atrás, que ainda não tinham conseguido o diploma. Não culpo a UniBrasil, porque como vão pegar um aluno que estudou quase nada lá e dar pegar um diploma da instituição?”.

Sem destino certo

Alunos transferidos da FAMA não sabem o que vai ser daqui pra frente, pois tem gente que o curso não existe na UniBrasil, caso do jovem João Victor. Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná

Alunos transferidos da FAMA não sabem o que vai ser daqui pra frente, pois tem gente que o curso não existe na UniBrasil, caso do jovem João Victor. Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná

No caso de João Victor de Souza Gonçalves, de 19 anos, outro estudante entrevistado pela Tribuna, a situação foi ainda pior: cursando letras, o jovem não conseguiu continuar estudando na UniBrasil porque a instituição não tem o curso. “Primeiro disseram que iriam montar uma plataforma com a mesma grade curricular que tínhamos na FAMA, mas tivemos apenas duas aulas. Na segunda aula comunicaram que o curso não poderia continuar lá, pela demanda ser baixa, já que eram apenas sete alunos”.

+ Caçadores: Após mais de cinco anos, obras da Copa seguem inacabadas na Grande Curitiba

Por conta da decisão da UniBrasil, alguns estudantes conseguiram mudar para outras instituições, outros desistiram de vez e João Victor continuou no Centro Universitário. “No meu caso, a UniBrasil me ofereceu cursar, neste semestre, uma matéria isolada na turma de pedagogia. Depois que esse semestre acabar, eu vou ter que mudar para outra faculdade, que ainda não sei o que vai ser”.

Na FAMA, João Victor tinha bolsa de 100% e isso, pelo menos, foi mantido na UniBrasil. “Mas não sei como vai ser essa situação se eu conseguir mudar de faculdade, se essa nova instituição vai manter a bolsa ou se vão bater com a porta na minha cara. Já liguei para várias faculdades, para ver as possibilidades que eu tinha, até agora só uma foi receptiva, mas ainda assim é incerto”.

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná

E a explicação?

A Tribuna tentou fazer contato com a FAMA por várias vezes, mas não obteve retorno antes da publicação da reportagem. Apenas nesta quarta-feira a instituição enviou uma nota oficial sobre os problemas. Leia mais sobre este posicionamento.

Apesar disso, os estudantes alegam que, para eles, pelo menos duas explicações foram dadas pela FAMA, uma que está no site da instituição e outra que foi dita durante a reunião de comunicado do encerramento das aulas presenciais. “Nessa reunião, disseram que não faliram, que na verdade o problema era com os proprietários do imóvel, que não queriam mais eles lá”, contou o estudante de letras.

+ Caçadores: Funcionários da FAS são agredidos na Rodoviária por moradores de rua

Segundo o jovem, os representantes da FAMA disseram que se uniriam a outra instituição, que fica no bairro Santa Cândida. “Mas lá nessa faculdade iriam cuidar apenas da parte administrativa”. “Falaram para a gente que perderam o prédio, mas a FAMA está aberta com curso EAD (ensino a distância)”, completou a estudante de pedagogia.

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná

No site oficial da Faculdade de Tecnologia Machado de Assis, a instituição disponibilizou um comunicado que aparece logo de início. O texto diz que o motivo de transferir os alunos se deu pela “falta de matrículas em janeiro, inadimplência alta de alunos, ausência do programa FIES e diversas intempéries no mercado”, que tornaram “economicamente inviável manter o funcionamento da FAMA presencial”.

Segudo a estudante de pedagogia, nenhuma explicação concreta foi dada. “E toda vez que perguntamos, ainda tem uma secretária que é estúpida, grossa com os alunos. A gente começou a achar que a UniBrasil pegou essa bomba às cegas. Se soubessem o quanto de problemas que tinham, não teriam pego. Estão tentando nos ajudar como podem”.

E a UniBrasil?

Em nota, o UniBrasil informou que, “ao receber pedidos de transferências externas e de matrículas isoladas, não tem responsabilidade por fatos relativos às instituições de origem, com as quais os alunos transferidos e novos (disciplinas isoladas) possuíam ou possuem vínculo”. Sendo assim, conforme o Centro Universitário, “também não pode ser imputada responsabilidade por condutas de outras instituições e, por razões éticas, o UniBrasil não avalia, nem tece, considerações sobre as ações de outras instituições”.

+ Caçadores: Maio amarelo – Curitiba ainda é ‘tímida’ na mobilização por trânsito seguro

Sobre as mensalidades, cada instituição tem sua política própria de valor de mensalidade e define o valor cobrado para seus cursos e igualmente define os abatimentos aplicáveis, com a respectiva previsão nos contratos assinados pelos alunos. É importante frisar que o UniBrasil cumpre rigorosamente o pactuado nos contratos celebrados com seus alunos, tanto no que se refere a valor de mensalidade, quanto a eventuais abatimentos incidentes no respectivo caso.

Valores definidos por outra instituição, por conseguinte, não vinculam a atuação do UniBrasil.
O UniBrasil salienta que, ao receber pedidos de transferências externas e de matrículas isoladas, NÃO tem responsabilidade por fatos relativos às instituições de origem, com as quais os alunos transferidos e novos (disciplinas isoladas) possuíam ou possuem vínculo. Assim, reforçamos que ao UniBrasil também NÃO pode ser imputada responsabilidade por condutas de outras instituições e, por razões éticas, o UniBrasil não avalia nem tece considerações sobre as ações de outras instituições.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Professor dá aulas de jiu-jitsu pra criançada do Parolin e garimpa talentos pro esporte

Sobre o autor

Lucas Sarzi

Jornalista formado pelo UniBrasil.

Deixe um comentário

avatar

33 Comentários em "Faculdade fecha em Curitiba e ‘bomba’ fica pra ex-alunos"


Mário
Mário
22 dias 9 minutos atrás

Herança maldita da era petê , que ajudou a criar 122303939239933 de faculdades de quinta, sexta, sétima categoria e por aí vai …

Flavio Steiner
Flavio Steiner
23 dias 12 horas atrás

Mais uma unitrampa. Tá cheio disso.

Cassiano Oliveira
Cassiano Oliveira
28 dias 5 horas atrás

Tem a Faboc ( Faculdade Boqueirão), também.

Ivan Fur
Ivan Fur
28 dias 7 horas atrás

Fujam da Tuiuti que é uma das maiores devedoreas de impostos do Brasil.

Futebol Paranaense
Futebol Paranaense
28 dias 13 horas atrás

Uma opção para esse pessoal seria a Unopar, empresa do grupo Kroton (maior da america latina) preço e qualidade bons, e a outra seria o campus da Unicesumar aqui em curitiba, só que é do outro lado da cidade, ali no Portão, é muito boa e o preço maravilhoso se comparado com as outras instituições, estudei em ambas, me formei em ambas e recomendo a todos, tem qualidade e mensalidade que da pra pagar.

Kevin Mamar
Kevin Mamar
28 dias 15 horas atrás

A pessoa muitas vezes não tem condições de bancar uma faculdade de renome, acaba se matriculando nessas instituições chave de cadeia, e o barato acaba saindo caro, sem contar que depois que pega o diploma, cai no mundo real do mercado de trabalho e leva mais uma invertida, tem que ralar muito para conseguir um emprego.

Tiago Ribas
Tiago Ribas
28 dias 15 horas atrás

A farra de abrir faculdades e cursos esta chegando ao fim, todos os meses vinha surgindo uma nova instituição oferecendo uma lista de cursos com mensalidades atrativas. Bastava criar um cnpj, um nome sugestivo, um pedido de curso no MEC

Jack Bouer
Jack Bouer
28 dias 16 horas atrás
Infelizmente muita gente na hora de escolher a faculdade só planeja o curto prazo, não se dá conta que é um relacionamento de 4 ou 5 anos. Nestas faculdades “low cost” o risco é muito maior, e mesmo sendo a única que cabe no bolso muitas vezes é melhor nem começar do que passar por uma situação dessas. Também não acho que a situação seja má fé da instituição, uma empresa quebrar não é crime, e nestes casos os donos não ficam livres leves e soltos como muitos pensam, os processos judiciais vão se empilhar, bens vão à leilão, o… Leia mais »
Carlos Gomes
Carlos Gomes
28 dias 14 horas atrás

Infelizmente na última década começou a mentira que basta ter diploma e tá tudo OK, muitos desses não tem nem educação básica que preste, entra no superior e daí de nada adianta , quando pagam escolhem só pelo motivo que conseguem pagar, agora com a economia ruim dá nisso (não tem emprego e escolas fecham)

Oscar Aglio
Oscar Aglio
28 dias 16 horas atrás

Mais uma bucha deixada pelos petês. Essas faculdades de aluguel foram todas surgidas e egordadas pela farra do crédito educativo irresponsável, concedido de pai para filho, sem garantias quaisquer. Como, na prática, o.FIES hoje é um abacaxi que o governo não sabe como se livrar, reduziu ele de tal modo que aquela montoeira de instituições de araque começaram a encerrar as atividades. Solução? Que tal perguntar para o inquilino da PF na Santa Cândida? Ou para a estocadora de vento?

Mário
Mário
28 dias 44 minutos atrás

Sem contar a farra das federais
Até federal do pampa foi criada

Lasca Denovo
Lasca Denovo
28 dias 14 horas atrás

Bem isso

Oscar Aglio
Oscar Aglio
27 dias 12 horas atrás

Tem isso também, com a gravidade de ser um imenso cabide de empregos, sem justificativa de esta posicionada em uma região geoconômica que justificasse uma instituição federal lá. A irresponsabilidade fiscal desse povo beira ao crime de lesa-pátria. Era de enforcar em praça pública!

Mário
Mário
22 dias 17 minutos atrás

Maior controle e massa de manobra do petê . Federais , mais concursos públicos para funcionários de carreira e temporários . O petê foi a maior quadrilha criminosa da história da humanidade .

Maycon Silva
Maycon Silva
28 dias 16 horas atrás

Qualquer coisa errada que o Pete fez faz parte do Bozo, ja que ele estava la antes disso dormindo. Ambos sao incopetentes. Chega de empurrar a responsabilidade entre eles.

Mário
Mário
22 dias 10 minutos atrás

A esquerda não tem como atingir Bolsonaro , então usam adjetivos estupidos para atingi-lo , pois sabem que ele não é corruPTo. E quanto a ser incompetente ? Bem …Se o ladrao analfabeto e a Dilmanta que estoca vento e saudava mandioca , governaram por 13 anos , então é melhor um Bolsonaro incompentente no poder do que eles . Ele pelo menos tem nível superior e pela aman , diga-se de passagem . Algo que até hj Lula e Dilma , além do eleitorado do petê ainda desconhecem

Oscar Aglio
Oscar Aglio
26 dias 14 horas atrás

Mais um com bandido de estimação. Eu não defendo ninguém. Se o governo atual erra, tem minha vaia. Agora, colocar 15 anos de khaghadhas do PT no atual governo, é desafio à lógica!

REINALDO  .
REINALDO .
28 dias 18 horas atrás

Opa, isto deveria ter começado a pelo menos 05 anos, agora vai começar a surgir situações com instituições de ensino nessa situação. Cadê o Ministério da Educação que controla as instituições no país, o que eles falam?

wpDiscuz
(41) 9683-9504