Orestes Ferreira da Cruz, 55 anos, suspeito de estuprar uma menina de 11 anos, foi preso no final tarde desta segunda-feira (6), em Tijucas do Sul, Região Metropolitana de Curitiba (RMC). O trabalho foi realizado pela equipe de investigação da Delegacia da Mulher e do Adolescente de São José dos Pinhais.

Segundo a polícia, Orestes era vizinho da vítima e o crime aconteceu durante o feriado de Carnaval. A garota morava apenas com o pai e uma irmã com deficiência. O suspeito teria se aproveitado de um momento de ausência do responsável para violentar a garota.

“Conforme apuramos, o pai da menina foi à farmácia para comprar remédios para a outra filha. Momento em que o homem aproveitou, entrou na casa e cometeu o abuso”, explicou a delegada Tathiana Guzella.

Um dia depois do crime, o suspeito observou novamente que as garotas estavam sozinhas e entrou na casa outra vez. “Nessa ocasião, ele não conseguiu consumar a ação, pois a própria esposa teria desconfiado, viu que ele estava com as calças arriadas e impediu”, contou Tathiana.

Orestes Ferreira da Cruz tentou repetir o abuso, mas foi flagrado de calças arriadas. Foto: Aniele Nascimento.
Orestes Ferreira da Cruz tentou repetir o abuso, mas foi flagrado de calças arriadas. Foto: Aniele Nascimento.

Abuso comprovado

A vítima ficou cerca de uma semana internada em um hospital de Curitiba, devido à gravidade da violência. Segundo a polícia, os abusos ficaram comprovados por meio do depoimento da garota, bem como através do resultado dos laudos periciais.

A esposa do suspeito também foi ouvida na delegacia e disse que já havia observado Orestes se insinuar para outras crianças da família com a mesma idade da vítima. “Pelo que foi apurado até o momento, os abusos contra a garota eram recentes, porém há possibilidade de que o suspeito já tenha feito outras vítimas”, considerou a delegada.

Apoio da PM

Orestes foi preso em cumprimento a um mandado de prisão preventiva, com apoio da Polícia Militar (PM). “Em primeiro momento, ele se reservou ao silêncio. Não quis falar nada pra gente. Mas deve ser ouvido novamente”.

O homem vai responder por estupro de vulnerável. Ele permanece temporariamente detido na delegacia, à disposição da Justiça.