Terá início nesta segunda-feira (14), a partir das 9h, o julgamento de Ênio Ivan Bertoncelo, acusado de matar a facadas a sua ex-mulher Mahara D’Ávila Secremim. A morte da estudante de direito ocorreu no dia 31 de maio de 2017. Mahara foi encontrada morta dentro da casa onde morava, no bairro Boqueirão, em Curitiba.

+Leia mais! Filho mata o pai com marteladas na Grande Curitiba!

Ênio é acusado de homicídio qualificado por meio cruel, motivo torpe, feminicídio, além de fraude processual. Após assassinar Mahara com golpes de faca no pescoço, Enio ainda tentou incendiar a casa da vítima para eliminar toda e qualquer evidência de autoria do crime.

Enio ainda foi ao velório de vítima e a beijou durante o velório.

A expectativa é que o resultado do júri popular seja divulgado ainda nesta segunda-feira.

O crime

Enio e Mahara ficaram juntos por três anos e estavam separados, na época do crime, há cerca de três meses. Neste tempo, o homem tentou voltar algumas vezes com ela, mas a jovem não quis mais.

Na noite do crime, Mahara estaria jantando com um novo pretendente, quando Enio chegou na casa dela, no Boqueirão, e flagrou o jantar. Houve discussão e o affair de Mahara foi embora. Em seguida, tomado de ciúmes, Enio assassinou Mahara a facadas e depois levou os eletrônicos dela embora, para incriminar o rapaz que jantava com ela.

Aos policiais, ele teria confessado o crime e não se omitiu em momento algum. Para o delegado, as características de Enio são de uma pessoa fria. “Um assassino mesmo, que teve sangue frio e premeditou tudo”, disse à época o delegado Cássio Conceição.

Ex-marido teria matado estudante de direito por ciúmes