Disposto a seguir os passos do Palmeiras, que conseguiu na semana passada o reconhecimento da Fifa de um título mundial com a conquista da Copa Rio de 1951, a diretoria do Santos já pediu à entidade máxima do futebol que faça o mesmo com a Recopa Internacional vencida em 1968.

Naquele ano, o time da Baixada Santista tinha Pelé, Edu, entre outros no elenco e derrotou na decisão a Inter de Milão por 1 a 0, na Itália, com o gol do atacante Toninho Guerreiro. Um dossiê com matérias de jornais e relatos da imprensa esportiva da época já foi enviado à Suíça.

Um forte aliado para a campanha santista para ter mais um Mundial na galeria de títulos – os outros são os de 1962 (contra o Benfica) e de 1963 (contra o Milan) – é o próprio Pelé, que não deixou de alfinetar o recente reconhecimento do Palmeiras como o primeiro campeão mundial de clubes da história.

?Esse torneio que o Palmeiras fez eu vi, inclusive as equipes que estavam aí. O Santos fez vários torneios na Argentina, no Chile, no México. Então o Santos teria uns cinco ou seis títulos mundiais viu? Porque torneio assim, o Santos já fez um monte.

A diretoria santista tem também um forte argumento para reivindicar o reconhecimento da Fifa. A Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) já considera o Santos como tricampeão mundial, fato que o iguala ao São Paulo como o time com mais conquistas em Mundiais.