O governador Roberto Requião reassumiu nesta terça-feira (7) o comando do Poder Executivo. Ele havia se licenciado no dia 4 de setembro para se dedicar à campanha pela reeleição. Depois da vitória, Requião tirou alguns dias de folga e seu primeiro compromisso foi em Brasília, onde foi chamado para uma reunião pelo presidente Lula. Requião desembarcou no fim da tarde em Curitiba e seguiu direto para o Palácio Iguaçu, onde reassumiu o cargo. No período de licença do cargo, Requião foi substituído pelo deputado Hermas Brandão, que volta à presidência da Assembléia Legislativa.

Depois de assinar o termo de posse, Requião reuniu-se informalmente com secretários de Estado e deputados estaduais da base aliada. O governador afirmou que pretende enviar à Assembléia Legislativa, ainda neste ano, projeto para reduzir o ICMS dos bens de consumo-salário, ou seja, produtos essenciais, como alimentos e roupas. ?Estamos formatando isso. É um compromisso de campanha?, disse o governador.

A idéia inicial, disse, é reduzir de 18 para 12% o ICMS. Segundo o governador, essa medida vai completar a reforma tributária implementada no Paraná nesse primeiro mandato, quando foram reduzidos os impostos sobre produtos agropecuários e sobre as atividades das micro e pequenas empresas. Requião informou também que vai visitar obras da administração estadual. ?Queremos mostrar as obras que a oposição dizia que não existem?, afirmou.

O deputado Hermas Brandão disse que deixa o cargo de governador com o dever cumprido. ?Foi um momento bom, sem dúvida alguma, porque tivemos a oportunidade de visitar mais de 100 municípios e, em todos eles, inaugurando obras. O governo tem obras em todos os municípios do Paraná. É gratificante para qualquer cidadão ser governador de seu Estado, mesmo que temporariamente?, disse. ?A iniciativa que marcou realmente minha passagem pelo governo foi sancionar a lei que criou mais uma universidade para o Paraná, a Universidade Estadual do Norte do Paraná, com reitoria em Jacarezinho?, completou.

Sobre a reunião em Brasília com o presidente Lula, Requião disse que o presidente manifestou a intenção de ter uma boa relação com o Paraná. ?O Lula disse que as relações dos nossos governos têm que ter a mesma intensidade que a nossa relação pessoal, o que não aconteceu no primeiro mandato por uma série de contingências?, afirmou.

O governador disse que o presidente Lula quer o PMDB participando do governo federal desde o início do segundo mandato. Requião informou que no dia 17 de novembro os sete governadores eleitos pelo partido vão se reunir em Santa Catarina para definir oficialmente a posição em relação ao governo Lula.