O ministro da Defesa, Nelson Jobim, admitiu hoje que o caça Rafale, da empresa francesa Dassault, é o mais interessante para o Brasil. “É o único que tem integral transferência de tecnologia”, afirmou Jobim, durante audiência pública na Comissão de Relações Exteriores da Câmara dos Deputados para debater a questão da compra dos caças para reaparelhamento da Força Aérea Brasileira (FAB).

Jobim disse que entregará, num prazo máximo de 15 dias, o relatório técnico ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva com as informações sobre os caças e a sugestão de qual deve ser comprado. “Será uma opção fundamentada. Quem quiser discutir, tem que vir armado”, disse o ministro, para quem o Rafale é o mais compatível.

Segundo Jobim, o que deve valer mais que o preço é o fato de o País ter uma transferência de tecnologia. “Isso é uma opção de governo, uma opção política”, disse, lembrando que a compra dos caças está dentro de um programa de defesa nacional.

São concorrentes nesse processo de escolha dos caças para a FAB o Rafale, da empresa francesa Dassault; o Super Hornet F-18, da americana Boeing; e o Gripen NG, da empresa sueca Saab.