Conhecido por criar polêmicas com suas atitudes, o prefeito de Bocaiúva do Sul, Élcio Berti (PFL), vai se deparar com mais uma. Ontem, ele assinou decreto proibindo homossexuais de fixar residência na cidade. Segundo o decreto, está proibida “a concessão de moradia e a permanência fixa de qualquer elemento ligado a esta classe (homossexuais), que não trará qualquer natureza de benefícios para este município”. “Estou fazendo isso pela moralidade e pensando no futuro de nossa população”, justificou. No próprio decreto, ele registrou que o objetivo é a “preservação do respeito a um ambiente familiar edificante”.

Segundo o prefeito, a decisão de editar o novo decreto foi tomada quando recebeu a ligação telefônica de um homem que queria morar no município. Berti perguntou se a pessoa, identificada como Marcelo, era casada. “Ele disse que vinha com o namorado”, contou. Para o prefeito, essa é uma “tentativa de ridicularizar a instituição do casamento como instituição natural para a geração e educação de filhos”.

Punhos firmes

Na justificativa de seu decreto, ele registrou ainda que “a luta deste município para suportar os encargos sociais precisa trazer indústrias e com isso necessita de pessoas com punhos firmes (grifado e negrito) para manejar os instrumentos de produção”.

Questionado sobre a constitucionalidade do decreto, Berti desconversou. “Tem tanta coisa inconstitucional no País, mortes, assaltos”, disse. “Eu quero disciplina e respeito por nossa população.”

Um dos líderes do Grupo Dignidade, que defende os direitos dos homossexuais, Toni Reis, disse, assim que soube do decreto, que iria entrar em contato com sua advogada. “Vamos entrar com denúncias em todas as instâncias cabíveis, Ministério Público, Justiça Federal, Comissão de Direitos Humanos…”, enumerou. “Essa é uma atitude nazista, que fere a Constituição federal e todos os tratados de direitos humanos.”

Folclore

Berti tornou-se folclórico em razão de suas iniciativas. O prefeito já chegou a distribuir pacotinhos de amendoim, que chamou de “viagra brasileiro”, com o intuito de aumentar a população de 9 mil pessoas e receber mais verbas do Fundo de Participação dos Municípios. Ele também tentou proibir camisinhas e cigarros no município, além de ter anunciado a construção de um ovniporto, com a intenção de atrair extraterrestres.