O ministro das Relações Institucionais, Ricardo Berzoini, é aguardado neste domingo na convenção do PR do Rio de Janeiro, na qual o ex-governador Anthony Garotinho será confirmado candidato ao Palácio Guanabara e anunciará apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff. Berzoini foi decisivo na articulação que levou o PROS a se coligar a Garotinho.

Antes mesmo da chegada do candidato ao governo e do ministro, já foi anunciado o resultado de prévias em que votaram 24 mil filiados do partido para escolher o candidato a ser apoiado pelo PR-RJ. Dilma venceu com pouco mais de oito mil votos. Em segundo lugar ficou a opção de liberar o partido para apoiar qualquer candidato. O candidato do PSB Eduardo Campos ficou em terceiro lugar e o tucano Aécio Neves em quarto. Em quinto e último ficou o Pastor Everaldo, do PSC. “Aécio Neves no Rio está com a banda podre do PMDB e Eduardo Campos liderou movimento para tirar os royalties do petróleo do Rio”, atacou o deputado estadual Geraldo Pudim, antigo aliado de Garotinho.

“Dilma foi fundamental para o PROS apoiar Garotinho”, discursou Pudim. O PROS indicará o candidato ao Senado na chapa. Garotinho faz campanha focado nas criticas ao ex-governador Sérgio Cabral e seu sucessor, Luiz Fernando Pezão, candidato à reeleição, do PMDB. Pezão tem apoio de Dilma, Aécio e Pastor Everaldo. Muitos evangélicos estão na plateia de cerca de oito mil pessoas que esperam a chegada de Garotinho, da Igreja Batista.

O deputado federal Hugo Leal, do PROS, foi anunciado candidato ao Senado na chapa de Garotinho. Com isso, a presidente Dilma Rousseff terá um cabo eleitoral entre candidatos a senador.

Outros candidatos já confirmados são aliados de adversários de Dilma: o ex-jogador e deputado Romário, do PSB de Eduardo Campos, e o ex-prefeito Cesar Maia, do DEM, aliado de Aécio Neves. Romário esta na chapa do candidato do PT a governador, Lindbergh Farias. Maia concorre ao lado do governador Pezão (PMDB). (Luciana Nunes Leal)