Os diretórios estadual e municipal do PFL vão homenagear o prefeito do Rio de Janeiro, César Maia, com o título de Cidadão Honorário do Paraná, numa reunião da executiva nacional que será realizada no dia 2 de maio, em Curitiba. O partido também vai aproveitar a presença de Maia e de outros dirigentes nacionais da sigla para apresentar novos filiados que entram no partido para integrar as chapas de candidatos à Assembléia Legislativa e Câmara Federal nas eleições do próximo ano.

Além de Maia, o presidente nacional licenciado da sigla, senador Jorge Bornhausen, e o presidente regional, deputado federal Abelardo Lupion, também receberão o título. Maia é o pré-candidato à presidência da República da sigla. E além do afastamento de Bornhausen da presidência para abrir espaço ao prefeito carioca, o PFL também está levando a cabo uma estratégia de levá-lo pelo País afora para fortalecer o projeto eleitoral de 2006.

Um dos organizadores da vinda de Maia a Curitiba, o deputado Eduardo Sciarra, disse que o debate em Curitiba terá como tema a reestruturação ideológica do partido e os rumos eleitorais de 2006. Será uma das últimas reuniões da executiva nos estados antes do encontro nacional marcado para o dia 20 de maio, quando o PFL vai aprovar o seu novo programa, resultado do que internamente os pefelistas chamam de processo de "refundação" do partido.

Sciarra afirmou que as sugestões colhidas nos estados vão subsidiar a mudança de imagem do PFL. "Estamos redefinindo nossa linha de atuação. Vamos consolidar uma posição ideológica de centro e deixar para trás a pecha de partido adesista e fisiológico", afirmou o deputado paranaense.

As filiações programadas para o dia 2 estão sendo mantidas na "moita", como definiu o vice-presidente estadual do partido, deputado Durval Amaral. Os pefelistas não divulgam os nomes dos futuros filiados temendo que a publicação chame a atenção do PMDB, acusado de usar o poder do governo para atrair para suas fileiras as lideranças que estão em negociação com outras siglas. "Estamos escondendo o ouro mesmo porque o governo assedia e vai para cima dos nossos filiados", disse o deputado.

As filiações se concentram em nomes de Curitiba e Região Metropolitana, onde o ex-prefeito Cassio Taniguchi e o vereador Fábio Camargo, atual presidente do PFL de Curitiba, estão trabalhando para ampliar a representação do partido. Segundo Amaral, o PFL está sendo procurado por interessados em disputar as eleições proporcionais do próximo ano porque partidos maiores como o PMDB e PSDB estão concorridos e a eleição nessas siglas, conforme cálculos preliminares, não seria possível com menos de cinquenta mil votos.