Foto: Evandro Monteiro

Caito Quintana integra a comitiva paranaense.

O governador Roberto Requião (PMDB) tem um encontro decisivo hoje, 13, em Brasília, para resolver as pendências do Paraná com a Secretaria do Tesouro Nacional a respeito do prometido perdão às multas aplicadas ao Estado, por conta da dívida com o Itaú relativa aos títulos podres adquiridos pelo extinto Banestado.  

Requião será recebido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para tratar, mais uma vez, do assunto. Ele irá acompanhado do deputado estadual Caito Quintana (PMDB), tesoureiro adjunto do diretório nacional, que ontem, também, participou com o governador do jantar organizado pelo diretório nacional para o presidente da República.

Quintana disse que a conversa entre Requião e o presidente terá uma pauta política e que vai incluir também o Porto de Paranaguá, motivo de vários dissabores para o governo estadual na relação com o governo federal. No jantar de anteontem, Requião conversou com o presidente, mas os assuntos oficiais não foram abordados.

A conversa com Lula será o arremate político das negociações técnicas que vinham sendo feitas entre o secretário do Planejamento, Enio Verri, com a participação de técnicos da Secretaria da Fazenda. O cancelamento das multas – já foram recolhidos R$ 166 milhões – foi anunciado pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, no dia 20 de março. Entretanto, elas continuaram sendo cobradas e o governo federal também não devolveu o dinheiro ao Estado. Requião vai pedir a Lula, hoje, uma posição final sobre o episódio.

Porto

Quanto ao Porto de Paranaguá, o governador Roberto Requião tomou a iniciativa de convidar a direção da Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários). A visita ao terminal foi marcada para a próxima quinta-feira, 19, segundo divulgou o Palácio Iguaçu.

?Quando conhecer detalhadamente o Porto e todas as medidas que implementamos nele, desde que assumimos o governo, em 2003, a Antaq verá porque Paranaguá é, sem sombra de dúvida, o mais organizado porto do País?, afirmou Requião ao presidente da agência, Fernando Fialho.

No encontro, o governador relatou a Fialho as mudanças que promoveu na administração do Porto, desde que assumiu o governo em 2003. ?Quando assumi, o porto estava falido?, afirmou Requião. ?Hoje, revertemos totalmente a situação e Paranaguá, como porto público, é referência para o Brasil e para o mundo. O Porto de Paranaguá, que era deficitário, hoje tem R$ 260 milhões em caixa?, declarou o governador. Ele informou que parte dos recursos, cerca de R$ 90 milhões, será investida em obras de infra-estrutura.