Durou mais de duas horas o depoimento do ex-diretor técnico da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Ogarito Linhares, à CPI do Porto, ontem de manhã, na Assembléia Legislativa. Ele explicou aos deputados como se deu o sumiço de 1,6 mil toneladas de soja. Segundo ele, o porto emprestou a soja para uma empresa, a Uninave, que não devolveu nem tem condições de fazê-lo. Seu aporte financeiro seria de apenas R$ 50 mil. A ordem para o embarque não foi assinada.

Hoje, a comissão volta a se reunir para ouvir operadores do silão sobre o problema. Está previsto o depoimento de Valdir Neves. Segundo o presidente da CPI, deputado Valdir Rossoni, a intenção é encaminhar o resultado das investigações ao Ministério Público. Na semana que vem, os deputados devem retornar ao porto, para dar continuidade à visita de duas semanas atrás, interrompida em função de problemas sanitários. Na sessão de ontem, também foi ouvido o delegado da Receita Federal em Paranaguá, Eduardo Franco. Ele relatou que a delegacia deixou as instalações portuárias por falta de condições de realizar lá o seu trabalho. Esse fato, afirmou, não prejudica o porto nem a Receita. Afeta mais o usuário, que precisa se deslocar em busca do serviço.

Como está

Sobre as denúncias de que o deputado Waldir Leite (PPS), seria sócio de empresa prestadora de serviços ao porto, Rossoni disse que não afetam as investigações nem são suficientes para determinar o impedimento a que o deputado participe dos trabalhos.

A CPI também decidiu remeter correspondência à liderança do PT questionando a ausência do deputado Elton Welter nas sessões. A comissão deve solicitar que o partido indique um suplente.