A Comissão Especial criada na Assembléia Legislativa para fiscalizar as obras do Eixo Metropolitano, o Programa de Transporte BID 2 para Curitiba, deve começar a funcionar na semana que vem. Já foram indicados para compô-la os deputados Neivo Beraldin (PDT), Rafael Greca (PMDB), Marcos Isfer (PPS), Fernando Ribas Carli (PP), Luiz Accorsi (PSDB), Mário Bradock (PMDB) e Tadeu Veneri (PT). Como autor do requerimento que criou a CEI, Beraldin deve presidi-la.

Ele disse ontem que o primeiro convocado a depor será o representante do Dnit. Ao mesmo tempo, a comissão vai reforçar a requisição de projetos à Prefeitura, “que ainda não foram encaminhados a esta Casa”, adiantou.

A decisão de criar a CEI foi tomada depois que o ex-secretário municipal de Obras, Leopoldo Campos, questionou em plenário, atendendo a convite de Beraldin, os estudos de viabilidade do projeto e outros pontos que considerou controversos. Em resposta, o PFL convidou o presidente do Ippuc, Luiz Hayakawa, e o atual secretário de Obras, Nelson Leal, para apresentar a versão da Prefeitura.

Aprovação

Hayakawa enfatizou que a operação de crédito para a primeira etapa das obras foi aprovada pela Câmara Municipal, que o trecho da BR 476 onde o sistema será implantado foi delegado ao município com a aprovação do Dnit, que a Prefeitura realizou as audiências e consultas públicas necessárias, inclusive no ano passado, durante a adequação do Plano Diretor ao Estatuto da Cidade.

O BID aprovou o financiamento em janeiro deste ano, o Senado aprovou o pedido de empréstimo em fevereiro, e o contrato com o BID, com o aval da União, foi assinado no último dia 12. O custo do quilômetro será de R$ 1,3 milhão.