Um dos pré-candidatos do PDT à presidência da República, o senador Cristóvam Buarque, disse anteontem em Curitiba que caberá ao partido avaliar se deve manter um representante na sucessão presidencial no caso do Supremo Tribunal Federal confirmar a verticalização das coligações partidárias para as eleições de outubro. Buarque afirmou que é necessário refletir sobre o que é melhor para o partido: priorizar as candidaturas nos estados e a eleição de bancadas federal e estadual ou lançar o candidato à presidência da República.

Buarque disse que não irá impor nenhum obstáculo se o partido concluir que a candidatura à presidência da República prejudica as alianças estaduais e o desempenho eleitoral da sigla. O senador veio a Curitiba para conceder uma entrevista ao Programa Brasil Nação da TV Paraná Educativa. O programa está ouvindo todos os pré-candidatos à sucessão presidencial.

O vice-presidente estadual do PDT, deputado Augustinho Zucchi, disse que a posição do presidenciável do partido reforça a posição do senador Osmar Dias, pré-candidato ao governo pela sigla. Osmar avalia que o lançamento de um candidato a presidente atrapalha seu projeto de concorrer ao governo porque, a se manter a regra da verticalização, restringe os acordos com outros partidos.