A procuradora-geral da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Dora Bertúlio, disse ontem que será acatada a decisão do juiz federal substituto Mauro Spalding, da 7.ª Vara Federal de Curitiba, que determina que seja realizada a matrícula de um candidato do curso de Engenharia Química. Porém, ela informou que a instituição vai recorrer junto ao Tribunal Regional Federal da 4.ª Região, em Porto Alegre. ?Estamos recorrendo porque temos a expectativa de que essa liminar será derrubada?, afirmou Dora.

O juiz federal substituto Mauro Spalding, da 7.ª Vara Federal de Curitiba, concedeu liminar a um candidato ao curso de Engenharia Química da Universidade Federal do Paraná (UFPR), determinando que fosse realizada sua matrícula. Por causa da reserva de vagas para afro-descendentes e para egressos de escolas públicas, o candidato não foi classificado no concurso vestibular. Das 88 vagas do curso, o candidato ocuparia a 63.ª, caso não houvesse a reserva. Com as vagas para os cotistas, ele ficou com a 20.ª posição na lista de espera. Segundo a assessoria da UFPR, até a tarde de ontem, a instituição ainda não havia sido notificada, mas adiantou que vai tentar cassar a liminar, como vem fazendo em outros casos semelhantes.