Os trabalhadores da Companhia de Informática do Paraná (Celepar) rejeitaram a proposta de reajuste salarial de 8% apresentada pela empresa de economia mista responsável pelos serviços de informática do governo do Estado. Agora, o Sindicato dos Empregados em Informática e Tecnologia da Informação do Paraná (SINDPDPR) está definindo uma nova estratégia de negociação. A possibilidade de greve não está totalmente descartada, mas deve ser a última ferramenta a ser utilizada.

A reivindicação prioritária da categoria é o cumprimento das regras para o desligamento de servidores em empresas públicas. “Em janeiro, quatro trabalhadores foram demitidos sem qualquer justificativa e tivemos que procurar a Justiça do Trabalho para que eles fossem reintegrados, já que não tivemos êxito no diálogo com o governo”, explica o diretor do SINDPDPR, Fábio Roberto Auache.

Outros pedidos são: efetivação do Programa de Participação nos Lucros e Resultados, já aprovado, mas ainda não implantado, e reajuste salarial de 20%. “São justas e acessíveis, mas até agora eles não quiseram negociar, apenas apresentaram a proposta deles”, comenta. A Celepar conta com cerca de 1.200 funcionários. A reportagem não conseguiu contato com a empresa para comentar sobre o andamento das negociações.