Durante todo o mês de março, os socorristas do Sistema Integrado de Atendimento ao Trauma e Emergência (Siate) e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de Ponta Grossa, atenderam a 1 594 ocorrências, o equivalente a 51,4 a cada dia ? contando sábados, domingos e feriados ? ou uma a cada 28 minutos.

O relatório elaborado pelo coordenador do SAMU de Ponta Grossa, Dalton Scarpin Gomes, os dias em que houve mais acionamentos ao sistema de suporte médico em março foram as segundas-feiras e os sábados. Enquanto aos domingos e quintas-feiras as ocorrências tiveram valores bem distintos (em março, foram 275 aos domingos e 190 nas quintas). Nos dias de maior incidência, as segundas-feiras, os chamados chegaram a 281. Nas terça-feiras foram 155 e nas quartas, 188. Nas sextas-feiras os socorristas foram chamados 228 vezes, e 277 aos sábados.

No levantamento por horários, foi registrado um pico entre as 12h e as 17h59. No mês de março, nesse período foram atendidas 543 ocorrências, contra 472 no período entre 18h e 23h59; 404 entre 6h e 11h59 e 175, entre meia-noite e 5h59.

Destino

Das 1 668 vítimas de casos em que houve acionamento do SAMU ou do Siate em março, 1 420 foram encaminhadas a hospitais, ao passo que 18 foram liberadas, 61 recusaram encaminhamento, 71 recusaram atendimento e 18 já haviam sido removidas do local. Foram anotados ainda oito óbitos por trauma ? sete no local da ocorrência e um após; 17 óbitos clínicos no local dos fatos e mais três óbitos clínicos no decorrer do atendimento ou transporte. Houve ainda nove casos classificados como "sem vítima", 13 cancelados pelo solicitante, 19 não localizados, seis casos de evasão e quatro de trote.

A maioria das 1 420 vítimas encaminhadas a hospitais foi conduzida a priori ao Hospital Municipal (Pronto-Socorro), destino de 1 061 dos atendidos pelo Siate e pelo Samu. Outros 86 foram levados à Santa Casa; 54 ao Bom Jesus, 29 ao Vicentino; 61 ao Hospital da Criança; 50 ao Santana Unimed; 71 ao Evangélico, um ao Hospital São Camilo e sete tiveram outros encaminhamentos.

Hálito etílico

Entre os mais de 1 594 chamados atendidos em março pelo Samu e pelo Siate, de acordo com relatório distribuído esta semana pela coordenação do sistema, nada menos de 183 foram atendidas com "hálito etílico". Entre esses, estavam os envolvidos em 38 casos de agressão, 68 casos clínicos, oito colisões, 10 ferimentos por armas brancas, dois ferimentos por armas de fogo, cinco quedas de bicicleta, 22 quedas de mesmo nível, doze quedas de moto e três quedas de plano elevado.