enkontra.com
Fechar busca

Paraná

Qualidade do Carnaval da capital gera polêmica

  • Por Roger Pereira

O Carnaval é a época do ano em que Curitiba fica mais vazia. Centenas de milhares de pessoas deixam a capital em busca de diversão ou apenas para aproveitar o feriadão. Mas, embora muitos não acreditem ou desconheçam, há algumas opções de folia para as pessoas que ficam na capital.

Dentro da Fundação Cultural de Curitiba há, inclusive, a Comissão Executiva do Carnaval. Presidida por Domingos Kalva, a comissão é responsável pela organização das festividades na capital, que contará com, além dos bailes organizados pelos principais clubes da cidade, bailes públicos e o desfile das escolas de samba de Curitiba. ?Nós contratamos as escolas para um espetáculo na Avenida Cândido de Abreu. Para isso, estamos pagando uma ajuda de custo a cada escola e cuidando da estrutura no circuito do desfile?, disse Kalva, explicando que a Fundação não irá se envolver diretamente na organização dos desfiles, que ficou a cargo da Liga das Escolas de Samba de Curitiba.

A Comissão liberou R$ 360 mil para o Carnaval de rua de Curitiba: R$ 200 mil serão utilizados para montagem de toda a estrutura para receber os desfile (como iluminação e arquibancadas), enquanto o restante foi rateado pelas escolas que participarão do desfile. Os desfiles das escolas de Samba de Curitiba será no sábado, a partir das 18h, quando desfilarão três blocos convidados, três escolas de samba do grupo de acesso e outras três da divisão principal (Bom a Beça, Acadêmicos da Realeza e Embaixadores da Alegria).

No domingo e na segunda-feira, a comissão promove os bailes populares na Rua da Cidadania da Fazendinha e no Ginásio de Esportes do Bairro Novo. ?O baile infantil vai das 15h às 19h e o adulto das 20h às 0h?, salientou Kalva.

Mas todos esses preparativos não têm entusiasmado os curitibanos. A reportagem de O Estado foi às ruas saber a opinião da população da capital e não encontrou nenhuma pessoa que pretendia participar do Carnaval de Curitiba. ?Não existe Carnaval em Curitiba. A gente guarda dinheiro o ano inteiro para deixar a cidade nessa data?, disse o estudante Henrique Silva Grande. ?Não sou fã de Carnaval, mas Curitiba não tem nem uma programação alternativa. Vou descansar na praia ou na fazenda?, declarou Eliabe Moura, de 22 anos.

Nem mesmo quem vai ter de passar o feriadão em Curitiba declarou que vai curtir uma das atrações da capital. ?É muito fraco, fui assistir aos desfiles uma vez e não gostei e ainda achei perigoso?, disse a vendedora Silviane Castro, que vai trabalhar durante o feriado. ?O Carnaval de Curitiba deveria ser extinto. Um trio elétrico num espaço adequado seria muito mais interessante. Moro na Cândido de Abreu e nunca assisto aos desfiles. É muito pobre e dá pena?, disse a corretora de imóveis Iara Regina Sperry.

Sem conhecimento

Para o presidente da Liga das Escolas de Samba de Curitiba, Saul D?Ávila, quem diz que o Carnaval curitibano não existe fala sem conhecimento de causa. ?O Carnaval de Curitiba é forte, feito pela comunidade e pelos artistas locais. É o Carnaval na sua essência e não é industrializado e fantasioso como o que se vê na televisão?, argumentou. ?Curitiba, desde o início do século passado, nunca deixou de ter Carnaval de rua. A prova do sucesso foram as 15 mil pessoas que assistiram aos desfiles no ano passado. Quem fala mal é porque nunca passou o Carnaval aqui ou nunca foi ao desfile?, concluiu. 

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas