Quinze mil pulseiras esgotadas em três horas. Foi nessa velocidade que foram distribuídos os “passaportes” que permitiram acompanhar, em Curitiba, o primeiro jogo do Brasil na Copa do Mundo no espaço da Fifa Fan Fest, montado na Pedreira Paulo Leminski. O interesse por fazer parte da festa oficial da Copa foi retribuído com um evento organizado, sem aglomerações e com centenas de vigilantes e policiais garantindo a segurança dentro e fora do local.

Não faltou quem declarasse querer “esse padrão” para o dia a dia da cidade. “Poderíamos ter sempre essa tranquilidade no bairro e na cidade”, declarava o gestor público Bryans Schellin, 32 anos. Ele, a esposa Claudia e os dois filhos vieram de Santa Felicidade para o evento. Confiantes no placar favorável e na conquista do Mundial. Enquanto Claudia previa 2 a 0, Bryans era mais comedido para o primeiro jogo e apostava no 2 a 1. “Estamos bem competitivos para o Hexa”, finalizou Bryan.

A família da torcedora Jaqueline Pasqualato também apostava na Seleção. Aliás, o palpite de Jaqueline, que o sogro Renato Dugoenski pegou carona, foi o certeiro 3 a 1. “E o Brasil tem que ganhar aqui, pois não vou aguentar esperar pela próxima Copa no Brasil”, brincou.

Torcedores de lugares muito distantes também vieram contemplar a Copa no ambiente Fifa. De Porto Velho (RO), os amigos Patrézio Morais e Felipe Erick Tarbosa celebravam a sorte de estarem estudando em Pato Branco, o que oportunizou a experiência. Ao final do segundo tempo, eles resumiram o sentimento do torcedor. “Foi excepcional”, declarou Patrézio. “Tentei com três meses de antecedência ingressos para os jogos do Brasil, mas não consegui. E essa segunda opção de se sentir na Copa, a Fan Fest, superou as minhas expectativas”, disse Felipe.

Mais longe ainda, os torcedores do Irã, que pretendem acompanhar a seleção do país deles por todo o Brasil, também se diziam entusiasmados com o espaço. “Espero que o Irã avance para a próxima fase e, do contrário, seguirei percorrendo as Fan Fests daqui, Salvador, São Paulo e Fortaleza”, comentou Arman Azari.

Atrações do fim de semana

O primeiro final de semana da Fifa Fan Fest em Curitiba será  repleto de atrações na Pedreira Paulo Leminski. Além da exibição de dez partidas da Copa do Mundo, o público presente poderá acompanhar gratuitamente a exibição de espetáculos teatrais, musicais e de dança. Confira abaixo a programação do fim de semana:

13/06 – Sexta-feira

11h00     abertura dos portões
11h15     DJ
11h30     grupo folclórico Centro Espanhol
13h00     México X Camarões (Natal)
15h05     Track Cheio
16h00     Espanha X Holanda (Salvador)
18h05     Regra 4
19h00     Chile X Austrália (Cuiabá)
21h05     DJ
21h30     fechamento dos portões

14/06 – Sábado
11h00     abertura dos portões
11h15     DJ
11h30     Companhia de Dança Latina Walmir Secchi
13h00     Colômbia X Grécia (Belo Horizonte)
15h05     Grupo Molungo
16h00     Uruguai X Costa Rica (Fortaleza)
18h05     Banda Gentileza
19h00     Inglaterra X Itália (Manaus)
21h05     Álvaro e Daniel
22h00     Costa do Marfim X Japão (Recife)
00h05     fechamento dos portões

15/06 – Domingo
11h00     abertura dos portões
11h15     DJ
11h30     Grupo de Teatro Lala Schneider
13h00     Suíça X, Equador (Brasília)
15h05     Milagrosos Decompositores
16h00     França X Honduras (Porto Alegre)
18h05     Haullys
19h00     Argentina X Bósnia (Rio de Janeiro)
21h05     DJ
21h30     fechamento dos portões

Quinze mil pulseiras esgotadas em três horas. Foi nessa velocidade que foram distribuídos os “passaportes” que permitiram acompanhar, em Curitiba, o primeiro jogo do Brasil na Copa do Mundo no espaço da Fifa Fan Fest, montado na Pedreira Paulo Leminski. O interesse por fazer parte da festa oficial da Copa foi retribuído com um evento organizado, sem aglomerações e com centenas de vigilantes e policiais garantindo a segurança dentro e fora do local.

Não faltou quem declarasse querer “esse padrão” para o dia a dia da cidade. “Poderíamos ter sempre essa tranquilidade no bairro e na cidade”, declarava o gestor público Bryans Schellin, 32 anos. Ele, a esposa Claudia e os dois filhos vieram de Santa Felicidade para o evento. Confiantes no placar favorável e na conquista do Mundial. Enquanto Claudia previa 2 a 0, Bryans era mais comedido para o primeiro jogo e apostava no 2 a 1. “Estamos bem competitivos para o Hexa”, finalizou Bryan.

A família da torcedora Jaqueline Pasqualato também apostava na Seleção. Aliás, o palpite de Jaqueline, que o sogro Renato Dugoenski pegou carona, foi o certeiro 3 a 1. “E o Brasil tem que ganhar aqui, pois não vou aguentar esperar pela próxima Copa no Brasil”, brincou.

Torcedores de lugares muito distantes também vieram contemplar a Copa no ambiente Fifa. De Porto Velho (RO), os amigos Patrézio Morais e Felipe Erick Tarbosa celebravam a sorte de estarem estudando em Pato Branco, o que oportunizou a experiência. Ao final do segundo tempo, eles resumiram o sentimento do torcedor. “Foi excepcional”, declarou Patrézio. “Tentei com três meses de antecedência ingressos para os jogos do Brasil, mas não consegui. E essa segunda opção de se sentir na Copa, a Fan Fest, superou as minhas expectativas”, disse Felipe.

Mais longe ainda, os torcedores do Irã, que pretendem acompanhar a seleção do país deles por todo o Brasil, também se diziam entusiasmados com o espaço. “Espero que o Irã avance para a próxima fase e, do contrário, seguirei percorrendo as Fan Fests daqui, Salvador, São Paulo e Fortaleza”, comentou Arman Azari.