O projeto Inclusão Social, da professora Jurema do Pilar Paula Cosobeck, do Centro Infantil Professora Maria de Luísa Burtz, de Morretes, foi o vencedor do Paraná do Prêmio Qualidade na Educação Infantil 2002, do Ministério da Educação (MEC). O objetivo do prêmio, destinado aos profissionais da rede estadual e municipal de ensino, é valorizar o professor como principal agente do processo de melhoria da qualidade da educação infantil e divulgar experiências pedagógicas relevantes. O prêmio ? que está na sua terceira edição ? será entregue em dezembro, em Brasília, quando serão homenageados 26 professores representantes de cada Estado brasileiro.

A proposta da professora Jurema, que trabalha há 23 anos com educação, foi no sentido de conscientizar alunos e pais contra o preconceito aos portadores de necessidades especiais. “Já verificamos o preconceito sofrido por um aluno portador de síndrome de down que não foi aceito em uma escola”, comentou a professora. Ela contou ainda que esse preconceito também existe em relação aos alunos que têm dificuldade de aprendizagem.

Para sensibilizar os alunos ? crianças de 5 a 6 anos ? Jurema trabalhou com o alfabeto braille, a linguagem de sinais, visitas à escola de portadores de deficiência mental, e a vivência de situações, como a locomoção em cadeira de rodas, ou com olhos e ouvidos tampados. “Eles puderam sentir um pouco os que os portadores de deficiência passam para se adaptar ao nosso cotidiano, e dessa forma, entender as suas dificuldades”, disse Jurema. Segundo a professora, os alunos levaram essa experiência para os pais, e muitos contam que “já aprenderam a se comunicar com os dedinhos”.

Concorrência

Foram inscritos ao prêmio 1.516 trabalhos, 128 a mais do que no ano passado. O Paraná foi o que teve a maior participação, com 293 inscrições, seguido de Santa Catarina, com 229, e São Paulo, com 196. A comissão julgadora reuniu-se para avaliar os trabalhos entre os dias 10 e 13 de outubro. Como incentivo, os vencedores receberão R$ 3 mil, além de diploma de premiação e um baú contendo materiais pedagógicos e acervo de literatura infantil. Os secretários de Educação responsáveis pelas redes de ensino em que as experiências foram realizadas receberão estatuetas, e as respectivas escolas receberão placas e acervo de livros. Já a Secretaria de Educação da experiência considerada a melhor entre todas – esse ano foi o Estado de Santa Catarina -receberá um veículo para ser utilizado como unidade móvel pela rede de educação infantil contendo materiais pedagógicos, TV, vídeo, computador dentre outros materiais.