Cláudio Ushiwata,
especialista em café orgânico.

Comemora-se hoje o Dia Internacional do Café Orgânico e Fair Trade (mercado justo). A produção de café sem a utilização de adubos e fertilizantes químicos ainda é pequena no Brasil, mas já apresenta um crescimento significativo. Os produtores e demais envolvidos na cadeia, distribuição e venda do produto vão declarar a cidade de Machado, no Sul de Minas, como a capital do café orgânico. “Hoje vamos assinar uma carta declaratória. Na segunda-feira seguinte vamos protocolar essa intenção na Câmara Municipal da cidade”, contou Cláudio Ushiwata, dono da Loja Terra Verdi, que comercializa o produto em Curitiba.

Ushiwata explicou que essa é apenas uma das ações que os envolvidos vão realizar para marcar o dia. No interior do Paraná os produtores vão expor seus produtos. “Aqui em Curitiba, as três lojas que vendem o café orgânico vão fazê-lo a preços mais baixos”, afirmou.

O comerciante contou que o café diferencia-se do comum pela forma de produção, onde em hipótese alguma há contato com algum tipo de produto químico. Em sua loja, Ushiwata vende o café orgânico tipo exportação. Além de apreciar um bom café, o consumidor pode levá-lo para casa. “Nós o torramos e moemos aqui mesmo, conforme o gosto do freguês”, explicou sobre o produto, que sai praticamente personalizado. O custo do quilo varia entre R$ 18 e R$ 20. “A diferença de gosto no tipo exportação orgânico e no exportação comum é sentida apenas por degustadores”, afirmou, destacando que em média o brasileiro consome um café de qualidade duvidosa. “O brasileiro produz o melhor café, mas não o toma, acaba exportando”, disse. A grande vantagem do orgânico é referente à saúde alimentar.

O presidente do Instituto Maytenus, que presta consultoria agrícola orgânica, Moacir Kretzmann, contou que hoje existem 200 produtores de café orgânico no Paraná. Eles estão distribuídos nas regiões Norte, Oeste e Noroeste do Estado. “Hoje ainda é produzido pouco café orgânico. Tudo que é produzido de orgânico no Brasil não chega a 1% do consumido de café no País”, revelou, destacando que no mercado interno a saca de 60 quilos é vendida entre US$ 85 e US$ 100. No tocante à exportação, são mandadas para fora do Brasil cerca de 120 mil sacas de café orgânico por ano. Os principais mercados consumidores são a União Européia, seguida do Japão e dos Estados Unidos.