Foto: Anderson TozatoO médico Marcos Mocellin é o primeiro brasileiro nos últimos 30 anos a ser eleito presidente da Associação Pan-americana de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço. A eleição ocorreu há duas semanas, durante o Congresso Pan-americano de Otorrinolaringologia realizado em Quito, Equador. Com sede em Miami, a associação representa o setor de todos os países do continente.

Durante o mandato, válido por dois anos, o presidente deve promover o intercâmbio de pesquisas da área entre os países, por meio de cursos em toda a América, além de organizar o próximo congresso, que acontece em 2010, em Cancun. ?O intercâmbio deve acontecer de forma que um médico boliviano tenha acesso ao que está acontecendo no Brasil e nos Estados Unidos, por exemplo?, explicou Mocellin, que também é professor titular e chefe do serviço de Otorrinolaringologia do Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

O congresso é a oportunidade em que as pesquisas mais atuais e o que há de mais moderno na especialidade são apresentados à categoria. Neste ano, entre os temas principais discutidos estava o implante coclear – também conhecido como ouvido biônico -, desenvolvido inclusive em Curitiba, que permite que uma pessoa surda possa começar a perceber sons por meio de um eletrodo. A novidade de cirurgia nasal sem tampão também foi abordada.

Segundo Mocellin, o grande desafio para essa modalidade da medicina hoje é a tentativa de regeneração das células-tronco do ouvido interno, o que pode reverter problemas de surdez. ?O futuro aponta para o estudo com células-tronco, como já foi realizado com sucesso em outras partes do corpo humano?, afirmou.