Muitos veículos estão sucateados.

Os veículos apreendidos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), devido a fiscalização nas rodovias de todo o Estado nos últimos meses, irão a leilão na segunda quinzena de março. Os carros, motocicletas, caminhões e até bicicletas foram apreendidos por transportar mercadorias ilícitas, frutos de acidentes e atropelamentos ou abandonados na rodovia pelos motoristas.

A idéia do leilão vem sendo trabalhada há algum tempo pela PRF e está em fase de estruturação. Segundo o presidente da Comissão Especial de Leilões da PRF, Ismael de Oliveira, os últimos detalhes para a realização do evento estão sendo feitos e serão publicados no Diário Oficial. O leilão acontecerá na 1.ª Delegacia do 7.º Agrupamento da PRF, na BR-116, quilômetro 13, em frente ao Santa Mônica Clube de Campo.

Os veículos que se encontram no pátio da PRF são dos mais variados modelos e estão em diferentes fases de decomposição. De acordo com o policial Ismael, os mais conservados foram apreendidos em blitz, por serem roubados. “São veículos de todo o País que estão parados aqui no pátio. E alguns já estão como sucatas. Essa idéia do leilão foi essencial para que nós pudéssemos remover os veículos, sem perder o valor de cada um deles”, diz.

Para um interessado adquirir um dos veículos abandonados, terá que cobrir o valor da peça, quitando as dívidas que o carro apresenta. Ou seja, o motorista que abandonou o veículo na rodovia e cometeu várias infrações de trânsito, não pagou as multas que lhe foram estipuladas. No leilão, para arrematar um dos veículos, o interessado terá que estar disposto a pagar toda a dívida que o carro acumulou estando parado no pátio da PRF.

Segundo Ismael, há casos de carros em que as multas chegam a R$ 150 mil. “Por ficarem muito tempo encostados aqui, esses veículos perdem o valor original, viram sucatas, mas acumulam os valores de multas. Um determinado carro no valor de R$ 16 mil, no pátio, depois de alguns anos, terá que pagar as multas acumuladas, que podem passar de R$ 100 mil”, afirma. “Há também os casos dos veículos que estão à disposição da Justiça, por terem sido roubados em outra cidade ou Estado. Eles foram recuperados pela PRF, mas estão a cargo da justiça. Nesse caso eles vão a leilão caso sejam liberados”, completa.

O leilão estará acontecendo simultaneamente em outros postos policiais do Paraná. O objetivo da Comissão Especial de Leilões da PRF é finalizar todas essas ações até a metade do ano, realizando os últimos leilões nos postos do Oeste do Estado. De acordo com o último levantamento da PRF, realizado em 2003, cerca de 1,8 mil veículos foram apreendidos em todo o Estado.