A internet gratuita chegou ao Largo da Ordem. Por meio de tecnologia sem fio, a região tem o sinal disponível desde o início da semana. O acesso à rede, com velocidade de 10MB, pode ser feito de qualquer dispositivo com tecnologia wi-fi. O Largo da Ordem é o terceiro ponto a receber o sinal gratuito de internet no mês de julho; Praça da Espanha e Jardim Botânico já contam com o serviço, realizado pelo Instituto Curitiba de Informática (ICI).

Segundo o gerente de Produção de TI, Fernando Matesco, o acesso se dá a partir de um cadastro individual no site do Passaporte Curitiba (HTTP://www.passaportecuritiba.com.br).

“A ampliação do acesso gratuito à internet é mais uma demonstração de que Curitiba está à frente nos serviços de tecnologia da informação”, avalia o diretor-presidente do ICI, Renato Rodrigues, referindo-se ao destaque do município como cidade mais digital do Brasil. O título foi concedido no início de julho pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), responsável pelo Índice Brasil de Cidades Digitais. O ranking mede o nível de inovação e de digitalização das cem cidades brasileiras que melhor utilizam as tecnologias da informação e da comunicação.

O advogado Cassiano Ricardo Régis, que trabalha no Largo, descobriu a novidade nessa quarta-feira (25), ao sair para o almoço. “A internet deve mesmo ser um serviço público”, apoia, comentando que acessa diariamente a web quando está na rua: “Consulto e-mails e acesso aplicativos do tablet e do celular”.

Internet móvel – De acordo com dados do Comitê Gestor de Internet, divulgados em janeiro, o acesso à internet por celular no Brasil cresceu mais de três vezes entre 2010 e 2011. A média de 6% de usuários de celular conectados no país subiu para 17%.

O hábito se tornou diário para muitas pessoas. É o caso do estagiário do Tribunal de Justiça do Paraná Erick Norberto Basso, que passa pelo menos duas horas por dia na internet de seu celular, “principalmente para acessar e-mails, redes sociais e conversar”.

Caroline Pereira também faz parte do grupo que não abre mão da facilidade. “Eu utilizo a internet no telefone cerca de três horas todos os dias. Quando estou conectada é mais fácil falar com outras pessoas”, constata.

Gerente da loja de artigos de cama, mesa e banho Capim Limão, instalada no Largo da Ordem, Caroline acredita que a internet pública também é um benefício para o comércio local. “Facilita bastante a vida de quem frequenta a região, especialmente porque é gratuito”, diz ela.

Para o gerente do Bar do Alemão, Jorge Tonatto, a iniciativa mostra o interesse do poder público em oferecer serviços diferenciados. “É ótimo porque o Largo é um local de visitação. Poucas prefeituras fazem isso no Brasil”, opina. O bar, que recebe cerca de mil pessoas nas noites de sexta-feira, conta com mesas ao ar livre. “É um público que usa bastante a internet do celular, percebemos o pessoal usando redes sociais o tempo todo”, frisa Jorge.