O trajeto de casa até o trabalho de bicicleta foi trágico para Jorge Ribeiro de Lara, 63 anos. Na quinta-feira, ele foi atropelado por um Clio branco e, apesar da tentativa dos socorristas do Siate de reanimá-lo, morreu na Avenida Victor Ferreira do Amaral, Tarumã.

O motorista do Clio disse aos policiais do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran) que estava na pista da direita, no sentido Pinhais, quando o ciclista tentou atravessar a rua. Ele alegou que não conseguiu evitar a colisão. O acidente foi por volta das 8h, em frente ao Jockey Club. Segundo a aspirante Jennifer, o teste do bafômetro apontou que o condutor não tinha bebido. Ele foi retirado do local do acidente para evitar tumulto. “O veículo estava regular, por mais que pareça estar rebaixado”, afirmou Jennifer.

Trabalho

Jorge morava no Centenário e ia de bicicleta até a Sociedade Hípica Paranaense, onde trabalhava. Familiares estavam no local do acidente visivelmente abalados. De acordo com testemunhas, o Clio estava em alta velocidade e vinha “costurando” os outros carros na avenida. “A hora que ele viu o homem, que estava na faixa de pedestres, não teve tempo de segurar”, contou um homem, que preferiu não se identificar. “Somente a perícia do Instituto de Criminalística vai mostrar se o veículo estava em alta velocidade”, ressaltou a aspirante.

Aliocha Maurício
O corpo de Jorge foi arremessado a cerca de 20 metros.