Com um dos mais altos índices de motorização do país – de um carro para cada 1,67 habitante – Curitiba tem registrado na última década um aumento na frota de veículos maior do que o crescimento da população. Com praticamente um carro a cada dois habitantes a cidade registrou, na última década, um crescimento demográfico bem menor – quase metade – do que o crescimento da frota.

Em 1999 Curitiba tinha 1.578.396 habitantes e a frota era de 648.212 veículos. Em 2008, a população estimada da cidade estava em 1.828.092 habitantes, 249.696 a mais do que há dez anos. A frota de veículos no entanto, estava em 31 de dezembro do ano passado em 1.097.830, um total de 413.618 carros a mais do que em 2008.

E o número de carros nas ruas não pára de aumentar: Em julho deste ano, a frota da cidade era de 1.125.866, um crescimento de 2,55% em relação ao ano passado. Esse crescimento significa que, de janeiro a julho, as ruas da cidade ganharam a cada dia mais 130 carros.

Principais substâncias emitidas por um motor de carro: Gás nitrogênio (N2) – em sua constituição, o ar tem 78% de gás nitrogênio. Grande parte dessa substância passa pelo motor do veículo; Dióxido de carbono (CO2) – é um dos produtos da combustão. O carbono do combustível se une com o oxigênio do ar; Vapor de água (H2O) – é outro produto da combustão. O hidrogênio do combustível se une com o oxigênio do ar.
As emissões de CO2 (conhecido também como gás carbônico) contribuem para o efeito estufa e o aquecimento global.

Como o processo de combustão não é perfeito, também são produzidas substâncias prejudiciais, como Monóxido de carbono (CO) – gás venenoso, sem cor e inodoro; e Hidrocarbonetos ou compostos orgânicos voláteis (VOCs) – produzidos principalmente por combustível não queimado, que evapora. A luz solar quebra os hidrocarbonetos para formar oxidantes. Estes reagem com óxidos de nitrogênio, transformando-se em ozônio (O3), de baixa altitude, um componente importante da poluição do ar ao formar a névoa fotoquímica (smog em inglês);

Óxidos de nitrogênio (NO e NO2, quando juntos, são chamados de NOx) – contribuem para o smog e para a chuva ácida e causam irritação das mucosas humanas.