Ilustração: Gisele Seguro da Silva
 

O Departamento de Estradas de Rodagem (DER) interditou, para tráfego pesado, o trecho de 45 quilômetros da rodovia que liga Palotina, passando por Terra Roxa, à BR-272, e os 26 quilômetros entre Francisco Alves e Palotina, na região Oeste do Paraná. Com a medida, válida a partir de hoje, caminhões acima de 45 toneladas estão proibidos de trafegar pelas vias.

Por causa da falta de reparos em trechos como a ponte sobre o Rio Piquiri na BR-272, e na BR-163, de Marechal Cândido Rondon até Guaíra, as estradas estaduais têm sido utilizadas como desvio pelos caminhoneiros que se dirigem a Guaíra e ao Mato Grosso do Sul. Contudo, as rodovias não foram planejadas e não estão preparadas para receber tráfego tão intenso.

?É uma medida drástica, que visa proteger as rodovias. O excesso de caminhões acelerou de forma acintosa a deterioração dos trechos. As rodovias não suportam o tráfego pesado que vem passando por lá?, afirma o secretário dos Transportes, Waldyr Pugliesi. ?Nada disso teria acontecido se o governo federal assumisse suas responsabilidades e fizesse as intervenções necessárias tanto na ponte sobre o Rio Piquiri quanto na importante ligação entre Marechal Cândido Rondon e Guaíra?, acrescenta.

O governo do Paraná, desde o início de 2003, vem alertando a União sobre a precariedade de alguns trechos de rodovias federais que cortam o Estado. As reivindicações paranaenses motivaram o Tribunal de Contas da União (TCU) a interceder na última semana e determinar que o governo federal aloque recursos e faça a recuperação de trechos da BR-163, BR-272 e  BR-476.

Multas

Pugliesi ressalta que o DER trabalha na fase final de concorrência da recuperação completa da rodovia de Palotina até Terra Roxa. O governo do Estado calcula investir na obra cerca de R$ 12 milhões. ?O limite de tráfego se faz necessário para salvarmos a rodovia, enquanto o processo licitatório caminha.?

O trecho entre Francisco Alves e Palotina também já tem obras garantidas no cronograma do departamento. São duas obras que vão contemplar este outro trecho: está em licitação a recuperação de 17 quilômetros de Francisco Alves até o Rio Piquiri e por administração direta, ou seja com a utilização do maquinário e de funcionários do DER, serão feitas melhorias em mais 9 quilômetros na direção de Palotina.

A interdição conta com o suporte da Polícia Rodoviária Federal, que está no trecho para orientar os motoristas que trafegam pela região. Caso o motorista não respeite a decisão do DER, estará sujeito a aplicação das sanções legais. Neste caso o condutor estará cometendo uma infração média, com multa de 80 Ufirs, cerca de R$ 85, e a perda de 5 pontos na habilitação.