De hoje (8) até o próximo dia 15, cerca de 4 mil crianças de acampamentos e assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no Paraná se organizam em várias regiões do estado para discutir o tema Sem Terrinha por Escola, Terra e Dignidade!.

Segundo o coordenador de Educação do MST, Alessandro Santos Mariano, apenas 100 dos 300 assentamentos existentes no Paraná têm escolas. Nesses locais, vivem cerca de 28 mil famílias. “No restante dos acampamentos as crianças são obrigadas a enfrentar transporte e estradas precárias para frequentar aulas nas cidades”, disse Mariano à Agência Brasil.

Em apenas 21 escolas há cursos de 5ª a 8ª séries e 16 oferecem até o ensino médio. “Como a maioria só garante até a 4ª série muitos desistem de estudar e entre os que continuam é grande a reprovação devido às faltas, costumeiras em alguns locais de difícil acesso”, explicou. De acordo com o coordenador, não há um índice certo, mas é muito alta a evasão escolar no campo após a 8ª série.

Além dos assentamentos, há também as escolas itinerantes que atendem acampamentos do estado. “São dez escolas onde estão matriculados 1,2 mil educandos”, informa o coordenador, acrescentando que o número de unidades escolares é muito baixo para atender todos os alunos.

“Ser criança no campo é diferente de ser criança nas cidades. Desde muito pequenas elas acompanham os pais na luta por seus direitos e já conhecem e discutem o Estatuto da Criança e do Adolescente”, disse Mariano. A expectativa é que 18 estados realizem os encontros reunindo 12 mil crianças em todo o Brasil.