A Secretaria do Trabalho, Emprego e Promoção Social distribuiu ontem (07) em Curitiba R$ 1.782.560,34, em recursos do Fundo da Infância e Adolescência (FIA), durante o Macro Encontro da Região Metropolitana de Curitiba, Litoral e Vale da Ribeira. Participaram da assinatura dos convênios representantes de 36 municípios.

Na abertura do encontro, no Auditório da Câmara de Vereadores de Curitiba, o secretário Padre Roque Zimmermann convocou os municípios para uma grande parceria na área social, alertando que ?precisamos estabelecer uma parceria total entre os governos federal, estadual e municipal. Não dá para um ficar isolado do outro?.

Padre Roque disse também não fazer nenhum favor às entidades pelo repasse do dinheiro, em reconhecimento ao trabalho de cada uma ?Estamos no máximo devolvendo um pouquinho do que é dela?, disse o secretário. Da mesma fonte de recursos, mais R$ 546.337,87 foram liberados no período da tarde a outras entidades de municípios pertencentes ao Escritório Regional de Ponta Grossa.

Hoje, sexta-feira, mais dois repasses do FIA serão efetuados nos escritórios regionais de Irati (R$ 107.141,34) e de União da Vitória (R$ 125.932,62). Em todo o Estado serão 470 entidades beneficiadas, envolvendo um montante de R$ 7 milhões. São instituições que desenvolvem trabalhos com crianças e adolescentes que se encontram em situação de risco pessoal e social, ou seja, que tenham sido expostos ao trabalho infantil, exploração sexual, maus-tratos e violência doméstica.

As verbas recebidas pelas entidades e municípios serão utilizadas principalmente para reforma de instalações, compra de equipamentos e contratação de profissionais. ?Não são poucos os recursos que se gastam na área social. No Governo Lula foram quadruplicados. No orçamento do Governo do Estado também não são poucos. Os municípios também investem. No entanto, a pobreza só aumenta?, constata Padre Roque, reforçando o convite para que a atuação seja de forma integrada. ?Nosso lema será: Desenvolvimento com Inclusão Social?, sugeriu, alertando os municípios para que descubram suas vocações e potenciais econômicos.

As reuniões regionais que estão ocorrendo em todo o Estado não são só para a liberação de recursos, mas também para tratar de outras políticas públicas de interesse da comunidade. Segundo o secretário, estão sendo discutidos vários programas, principalmente na área da geração de emprego e renda. Economia solidária, empreendedores locais e créditos subsidiados são os pontos mais enfocados. ?Precisamos resolver não os nossos problemas, mas dos que estão na sarjeta, desamparados, e não com cestas básicas, mas com emprego?, completou Padre Roque.