O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, determinou a retirada da embaixadora americana para a Ucrânia, Marie Yovanovitch, após meses de reclamações de aliados de fora do governo, inclusive do advogado pessoal dele, Rudy Giuliani. A reclamação era de que ela estava minando o trabalho dele no exterior ao obstruir esforços para persuadir Kiev a investigar o ex-vice-presidente Joe Biden, de acordo com fontes ligadas ao assunto.

A convocação de Yovanovitch na primavera americana se tornou um foco de interesse na investigação de impeachment contra Trump na Câmara dos Representantes. Uma denúncia anônima de um agente da CIA afirma que o presidente solicitou interferência estrangeira na eleição de 2020 ao pressionar o presidente ucraniano em telefonema em 25 de julho a investigar Biden, pré-candidato democrata à presidência. A queixa afirma que a saída da embaixadora foi um dos fatos que abriram caminho para o suposto abuso de poder de Trump. Fonte: Dow Jones Newswires.