O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, disse hoje no Canadá que gostaria que as tropas britânicas saíssem do Afeganistão. “Não podemos permanecer por mais cinco anos, tendo em vista que já estamos no Afeganistão há nove anos”, disse ele em entrevista à emissora britânica Sky News, em Huntsville, onde participa de sua primeira reunião do G-8 (grupo de países mais industrializados do mundo) depois de assumir o cargo no mês passado. O número de soldados britânicos no país asiático chega a 10 mil.

O progresso no Afeganistão deve estar no topo da agenda quando Cameron se encontrar amanhã com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, durante os intervalos da cúpula do G-20 (grupo que reúne o países mais industrializados e as principais economias emergentes) em Toronto.

A Grã-Bretanha é o segundo maior fornecedor de tropas para a guerra no Afeganistão, atrás apenas dos Estados Unidos, e seu atual envolvimento no conflito é intensamente debatido no país.