A tempestade tropical Barry se aproxima nesta sexta-feira, 12, do estado da Louisiana, no sul dos Estados Unidos, onde deve tocar terra nas primeiras horas de sábado, com a previsão de que ocorra uma perigosa combinação de ressaca e inundações.

“A principal preocupação que (a tempestade) Barry gera é a água, tanto da ressaca ciclônica, que avança sobre os territórios litorâneos, como a inundação de água doce terra adentro. É uma situação que coloca vidas humanas em risco e deve ser levada seriamente”, afirmou o Centro Nacional de Furacões (NHC) no Twitter.

Um dos meteorologistas do Centro Nacional do Clima classificou a tempestade como “mortífera”. “A tempestade tropical Barry é uma tempestade perigosa e potencialmente mortífera”, alertou Benjamin Schott.

Autoridades cancelaram um show dos Rolling Stones que seria realizado no domingo, 14. Os moradores receberam ordem de se retirar de algumas áreas próximas, mas o prefeito de Nova Orleans disse que nenhuma retirada foi ordenada na cidade baixa, que fortaleceu suas defesas contra inundações depois do devastador furacão Katrina em 2005.

O presidente americano Donald Trump declarou estado de emergência na Louisiana. A produção petrolífera da região foi reduzida pela metade, e as empresas energéticas esvaziaram instalações de prospecção em alto-mar. O Departamento de Saúde e Serviços Humanos do governo dos EUA decretou emergência pública de saúde em Louisiana para que o estado se preparasse para o impacto do Barry.

Um dos fatores que mais causam temor é o nível do Rio Mississipi, que nesta época do ano costuma ficar entre 1,8 e 2,4 metros, e está atualmente em 4,8 metros. Segundo a imprensa local, a alta deixa Nova Orleans em uma situação de alerta próxima à do devastador Katrina.

O último boletim divulgado pelo NHC informa que o Barry está a 190 quilômetros da foz do Rio Mississipi, onde está Nova Orleans, e a 130 quilômetros de Morgan City, onde a tempestade deve tocar terra.

Segundo o órgão, Barry está avançando mais lentamente, a 6 km/h, com ventos máximos sustentados de 100 km/h. As rajadas, porém, chegam a 280 km/h na área mais próxima ao centro da tempestade.

Devido à intensidade dos ventos, de acordo com o NHC, Barry deve tocar terra com categoria de furacão 1 na escala Saffir-Simpson.

Este será o primeiro furacão da temporada de 2019 no Oceano Atlântico, que começou oficialmente no dia 1º de junho. Antes da data, porém, a tempestade subtropical Andrea se formou na região, mas não provocou danos.

O NHC enviou diversos alertas de tempestade tropical e de furacão na região do litoral do Golfo do México. Segundo o último boletim do órgão, pode chover 63,5 cm em pontos isolados. Já a ressaca ciclônica deve provocar ondas de até 1,8 metros. (Com agências internacionais)