Um suicida explodiu um carro-bomba perto de onde passava a procissão de um funeral no sudeste de Bagdá nesta sexta-feira, matando pelo menos 32 pessoas – metade das quais policiais que faziam a segurança da marcha – e deixando 65 feridas.

Segundo a polícia, a explosão aconteceu às 11h (horário local) no bairro predominantemente xiita de Zafaraniyah, onde várias pessoas haviam se reunido para a cerimônia em homenagem a Mohammed al-Maliki, um corretor imobiliário morto junto com sua mulher e o filho um dia antes, no bairro de Yarmuk, a oeste de Bagdá.

Funcionários de hospitais confirmaram número de mortos. Em todo o Iraque, pelo menos 200 pessoas já foram mortas numa onda de ataques de insurgentes desde o início do ano. Os atos de violência após a saída dos militares norte-americanos do país, em 18 de dezembro, preocupam e há temores de que se transformem numa guerra civil.

Funcionários do Hospital Geral de Zafaraniyah, para onde a maioria dos mortos e feridos foi levada, disseram que a explosão foi tão forte que quebrou janelas e danificou paredes do hospital, ferindo uma enfermeira e quatro pacientes. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.