Rebeldes sudaneses entregaram 29 trabalhadores chineses sequestrados duas semanas atrás para autoridades do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, segundo informou nesta terça-feira a Xinhua, agência de notícias estatal da China, de acordo com o jornal The Wall Street Journal. Um porta-voz do governo do Sudão confirmou que as vítimas foram libertadas, sem dar detalhes. Os 29 trabalhadores foram capturados no último dia 28 quando rebeldes invadiram um campo de trabalho na China.

A soltura deles marca o fim de um episódio que acentua as preocupações da China com a segurança do cada vez maior número de chineses trabalhando fora do país. O incidente também criou aparente tensão entre a China e o Sudão, um importante fornecedor de petróleo. A China busca mediar uma disputa sobre o fornecimento de petróleo entre o Sudão e o recém-criado Sudão do Sul. As informações são da Dow Jones.