Cinco corpos queimados foram encontrados em uma filial de um banco que pegou fogo durante os protestos, ontem, na cidade de Al-Hoceima, no norte do Marrocos, informou hoje o ministro de Interior, Taib Cherkaoui. Houve protestos ontem também na capital do país, Rabat, reunindo pelo menos duas mil pessoas. Os manifestantes pediam uma nova Constituição, a fim de ampliar a democracia no país. Também querem melhorias na economia e auxílio para lidar com o custo de vida crescente.

Os protestos no Marrocos também são inspirados pelos ocorridos na Tunísia e no Egito, que culminaram com a queda de governantes que estavam havia décadas no poder. O alvo das manifestações de ontem no país, porém, era o Parlamento, que, segundo muitos marroquinos, não ouve as demandas populares. Aparentemente, entretanto, a população local segue fiel ao rei Mohammed VI. As informações são da Dow Jones.