O jurista Kais Saied é favorito para vencer as eleições presidenciais na Tunísia, segundo as principais projeções. Saied conseguia mais de 50 pontos porcentuais de vantagem sobre seu adversário, Nabil Karoui, o controvertido empresário que está detido e era considerado o favorito meses atrás.

Embora os resultados oficiais só devam ser conhecidos na terça-feira, 15, a publicação da pesquisa desencadeou euforia entre os partidários de Kais Saied. O candidato agradeceu aos “jovens, que abriram uma nova página da história”, diante de seus partidários reunidos no hotel.

Cerca de 90% dos eleitores de 18 a 25 anos votaram em Saied, segundo estimativas do instituto de pesquisas Sigma, contra apenas 49,2% dos maiores de 60 anos.

Na segunda eleição presidencial democrática de sua história, os 7 milhões de eleitores tunisianos deviam escolher entre Nabil Karoui, um milionário da mídia investigado por fraude fiscal e corrupção, e Kais Saied, professor de direito constitucional sem experiência política. Saied venceu o primeiro turno realizado em 15 de setembro.

Karoui se apresentou como uma barreira ao islamismo e ao fundamentalismo, em defesa de uma Tunísia “secular e moderna”. Já Saied, um candidato sem partido que transformou em bandeira de campanha os gritos da Primavera Árabe, assumiu seu conservadorismo em questões sociais e religiosas, e obteve apoio de diversos partidos no segundo turno.

O principal apoio a Saied veio do movimento de inspiração islamista Ennahdha, que ficou em primeiro lugar nas eleições legislativas celebradas no começo de outubro, com 52 assentos do total de 217. Após o segundo turno, o Ennahdha terá de conduzir o processo de formar um novo governo. (Com agências internacionais).

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.