O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, pediu hoje que israelenses e palestinos “cessem fogo imediatamente”, após a morte de 11 civis palestinos em um ataque israelense sobre Gaza e o disparo de mais foguetes contra Israel.

“Isto deve parar”, afirmou Ban em comunicado no qual manifestou sua tristeza pela morte de 9 membros de uma família em Gaza –incluindo cinco crianças– e sua condenação pelo lançamento de mais foguetes contra Israel.

“Peço que as partes cooperem com todos os esforços liderados pelo Egito para alcançar um cessar-fogo imediato”, acrescentou.

Ban indicou que qualquer escalada da violência “aumentará inevitavelmente o sofrimento de civis”.

O responsável da ONU disse que visitará a região durante esta semana “para apelar pessoalmente para o fim da violência e contribuir com os esforços já iniciados”.

A onda de ataques aéreos entre ambos os lados entrou no quinto dia neste domingo, um dos mais violentos desde a recente escalada de violência na região. Ao menos 26 palestinos morreram, segundo a agência de notícias France Presse.
Um ataque aéreo a um prédio do bairro de Nasser, na cidade de Gaza, matou 11 palestinos, –quatro mulheres e cinco crianças–, e nove membros de uma mesma família.

A atual ofensiva de Israel na região é a maior desde a guerra de 2008-09, que durou 22 dias e terminou com 1.300 palestinos e 13 israelenses mortos. Desde o início da ação em Gaza, 75 pessoas morreram, sendo 72 palestinos e três israelenses.

Pelo menos 846 foguetes foram disparados desde quarta-feira em direção a Israel –302 foram interceptados pelo sistema antimísseis “Iron Dome”, segundo o Exército israelense.

srael mobilizou milhares de reservistas e deslocou blindados de transportes de tropas, bulldozers e tanques na fronteira para a faixa de Gaza.