O próximo primeiro-ministro do Japão, Yukio Hatoyama, escolheu hoje alguns nomes que vão compor seu gabinete. Como esperado, Hirohisa Fujii, de 77 anos, foi o indicado para o Ministério de Finanças. Político veterano, ele ocupou o cargo no início da década de 1990. Segundo os meios de comunicação japoneses, Hatoyama escolheu outros importantes legisladores do Partido Democrático do Japão (PDJ) para cargos de chefia, como para o novo Birô de Estratégia Nacional, que vai divulgar as diretrizes sobre importantes questões políticas: por exemplo, o orçamento nacional.

As nomeações de Hatoyama, que é presidente do PDJ, indicam que ele está montando o governo com pessoas que têm influência para levar adiante as principais promessas de campanha, como medidas de política econômica para estimular a demanda doméstica, tornar o crescimento do Japão menos dependente das exportações, fazer com que a formulação de políticas fique mais nas mãos dos políticos e menos nas mãos dos burocratas, além de reexaminar os laços do Japão com os Estados Unidos e com a Ásia. Hatoyama deve ser indicado amanhã como primeiro-ministro.

Na liderança do Birô de Estratégia Nacional vai estar o ex-presidente do PDJ, Naoto Kan, de 62 anos, que atualmente é presidente interino do partido. Kan também será nomeado vice-primeiro-ministro. A agência que ele deve chefiar estará no centro da transformação das políticas japonesas, que devem passar a ser estabelecidas pelos políticos em vez de ficar nas mãos de poderosos burocratas.

Para o ministério da Terra, Infraestrutura, Transporte e Turismo foi escolhido Seiji Maehara, de 47 anos, atualmente vice-presidente do PDJ. O cargo terá importância no governo porque deve cuidar da eliminação dos pedágios das estradas, uma das promessas de campanha do PDJ. O Ministério de Relações Exteriores será liderado por Katsuya Okada, de 56 anos, atual secretário-geral do PDJ. Ele também ocupou a presidência da legenda. Nesse caso, Okada será o porta-voz da diplomacia do governo do PDJ, segundo a qual o Japão continuará a ser um forte aliado dos Estados Unidos, mas deve estar pronto para desafiar o aliado em questões de segurança.

Coalizão

Os líderes dos dois partidos que formam a coalizão de governo também foram escolhidos para ocupar ministérios, informou a mídia local. O PDJ conquistou uma grande vitória na Câmara Baixa nas eleições de 30 de agosto, mas precisa da ajuda de uma coalizão para aprovar projetos da Câmara Alta, na qual não tem maioria.

Shizuka Kamei, de 72 anos, líder do Novo Partido do Povo, fora inicialmente indicado para o Ministério da Defesa, mas depois recebeu a oferta para o cargo que vai administrar questões postais e financeiras, informou a agência de notícias Kyodo. Kamei fez oposição à privatização do sistema postal do ex-primeiro-ministro Junichiro Koizumi e deve trabalhar na revisão do projeto.

Hatoyama também escolheu o líder do Partido Social Democrata, Mizuho Fukushima, de 53 anos, para o ministério que vai cuidar de questões de consumo, da decrescente taxa de natalidade, segurança alimentar e igualdade de gêneros, informou a agência Kyodo. As informações são da Dow Jones.