A Malásia aumentou a pressão sobre Pyongyang ao emitir uma declaração condenando o uso de uma arma química tóxica proibida no assassinato do meio-irmão do líder da Coreia do Norte. A Malásia não acusou diretamente a Coreia do Norte pela morte de Kim Jong Nam, mas a declaração do Ministério de Relações Exteriores do país ocorre horas depois de um enviado norte-coreano ter rejeitado uma autópsia malaia.

O Ministério de Relações Exteriores malaio disse que estava “muito preocupado” com o uso de um produto químico tóxico e condenou o uso de uma arma química em qualquer circunstância. “Seu uso em um local público poderia ter colocado em risco o público em geral”, disse. Fonte: Associated Press.