O juiz federal Derrick Watson, do Havaí, estendeu seu bloqueio ao segundo decreto anti-imigração do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, até que o processo seja julgado nos tribunais de apelação. A decisão foi emitida nesta quarta-feira.

Buscando um bloqueio com uma duração maior, o procurador-geral do Havaí, Douglas Chin, argumentou que a mensagem implícita da proibição é como “um sinal piscante de néon que diz ‘proibição muçulmana’ e que o governo não se incomodou em desligar”.

O Departamento de Justiça havia dito que Watson deveria restringir a decisão para cobrir apenas a parte do decreto que suspendia novos vistos para pessoas de seis países de maioria muçulmana, e não todo o restante. Fonte: Associated Press.