O grupo radical islâmico libanês Hizbollah reivindicou hoje ter enviado um avião não tripulado que conseguiu entrar no espaço aéreo de Israel no último sábado. A aeronave foi derrubada a poucos quilômetros da faixa de Gaza.

O anúncio aconteceu minutos depois de o primeiro-ministro de Israel, Binyamin Netanyahu, acusar os radicais de envolvimento no envio do aparelho. O líder do grupo radical, Hassan Nasrallah, confirmou o ataque.

“O avião foi enviado pela resistência libanesa [Hizbollah] pelo mar [Mediterrâneo] e chegou ao sul da Palestina ocupada [Israel]”, disse, por videoconferência, considerando a operação muito importante.

A aeronave, que o grupo libanês diz ser de origem iraniana, foi derrubado no sábado pelo Exército israelense após invadir o espaço aéreo do país na região de Negev. Na época, os militares suspeitavam de uma ação do grupo libanês em coordenação com o Irã.

 

Mais cedo, Netanyahu acusou o movimento radical de ter enviado o avião, em comunicado. “Atuamos com determinação para proteger nossas fronteiras. Foi assim que impedimos uma tentativa do Hizbollah no fim de semana passado”.

 

Outros ataques

Este é o primeiro avião não tripulado do Hizbollah que atinge o espaço aéreo de Israel desde 2006, em meio à guerra de entre os dois países.

Em julho de 2006, o Exército israelense derrubou outro ‘drone’, lançado pelo movimento xiita libanês Hizbollah. Em 12 de abril de 2005, outro avião sem piloto do grupo conseguiu sobrevoar parte do território de Israel sem ser interceptado.

Israel acusa o grupo de ser financiado pelo Irã, o que tanto a entidade como Teerã negam. Para o governo israelense, o Hizbollah foi o responsável pela maioria dos atentados contra judeus nos últimos 20 anos.

No início de julho, o jornal “Haaretz” informou que o Exército de Israel prepara uma nova guerra com o Líbano, caso piorem os confrontos na Síria e aumentem as operações do Hizbollah.