O Partido Yeni Azerbaijan, do presidente do Azerbaijão, Ilham Aliyev, venceu as eleições legislativas no país do Cáucaso que ocorreram ontem, mostraram resultados parciais hoje. Com mais de 90% dos votos contados, a Comissão Eleitoral Central informou que o partido de Aliyev conquistou cerca de 70 cadeiras no Parlamento de 125. A oposição disse que as eleições não foram justas e a Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE), que enviou observadores ao sufrágio, afirma que o governo azeri fracassou em realizar o progresso democrático.

“As eleições parlamentares de ontem no Azerbaijão foram caracterizadas por um processo pacífico e todos os partidos da oposição participaram do pleito, mas a condução do sufrágio como um todo não foi suficiente para constituir um progresso significativo no desenvolvimento democrático do país”, disse a OSCE, em comunicado.

O líder do bloco opositor Musavat, Isa Qambar, afirma que nenhum dos seus candidatos conseguiu conquistar uma cadeira no Parlamento e denunciou supostas fraudes nas zonas eleitorais. Segundo ele, representantes do bloco opositor não tiveram acesso aos locais de votação como fiscais e várias pessoas conseguiram votar mais de uma vez. “Nós pedimos que os resultados sejam anulados e novas eleições sejam feitas sobre a base de uma nova lei eleitoral”, disse Qambar. Ele definiu as eleições “ilegítimas, não democráticas, não transparentes e injustas”.

Pouco mais de 50% dos 4,95 milhões de eleitores azeris votaram ontem. Aliyev, de 48 anos, governa o Azerbaijão, uma ex-república soviética, desde 2003, quando sucedeu ao seu pai, Geidar Aliyev, o qual governou o Azerbaijão primeiro como chefe do Partido Comunista na era soviética e depois como presidente entre 1993 e 2003. As informações são da Associated Press.