As forças de segurança da Síria mataram a tiros dois civis na cidade de Homs, no centro do país, onde manifestantes contrários ao regime devem se reunir após as preces semanais muçulmanas, segundo ativistas pelos direitos humanos.

As mortes ocorreram em um posto de controle das forças de segurança no bairro de Homs de Bab al-Sibaa, informou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos em e-mail.

O movimento de oposição sírio, fortalecido pela morte do ditador deposto líbio Muamar Kadafi, convocou mais protestos pelo país em apoio ao povo líbio e contra o regime do presidente Bashar Assad.

Milhares de pessoas têm realizado protestos semanalmente na Síria às sextas-feiras, apesar da brutal repressão das forças de segurança. Assad enfrenta a revolta popular desde 15 de março, e a repressão já deixou mais de 3 mil mortos, segundo as Nações Unidas.

“Chegou sua vez, Doutor” Assad, escreveram manifestantes em sua página no Facebook, chamada Revolução Síria 2011. A oposição promete manter os protestos contra o líder.

O Observatório sediado em Londres afirmou que pelo menos cinco civis foram mortos a tiros por forças de segurança em várias partes do país na quinta-feira. As informações são da Dow Jones.