O governo da China convocou o embaixador da Noruega em Pequim para prestar esclarecimentos ao Ministério das Relações Exteriores. A intenção do governo chinês é tratar do Prêmio Nobel da Paz concedido ao dissidente chinês preso Liu Xiaobo, informou o governo da Noruega.

Mais cedo, a China já havia se manifestado contra a decisão do comitê norueguês do Nobel por ter eleito Liu vencedor do prêmio. Comunicado da chancelaria chinesa afirmou que o prêmio ao coautor da Carta 08, um manifesto pedindo reforma política no país comunista, iria “danificar as relações sino-norueguesas”. “Ao conceder o prêmio a essa pessoa, o comitê do Nobel violou e blasfemou contra o prêmio”, afirmou o comunicado no site do Ministério das Relações Exteriores da China.

Nações Unidas

O Prêmio Nobel da Paz concedido ao dissidente chinês foi elogiado nesta sexta-feira pelas Nações Unidas. Uma graduada funcionária da entidade disse que o agraciado é um partidário dos direitos humanos muito importante. “Liu Xiaobo é um defensor dos direitos humanos muito proeminente. Nós saudamos o reconhecimento do papel bastante importante dos defensores dos direitos humanos na China, bem como dos desafios que eles enfrentam”, disse a Alta Comissária pelos Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay.

“Também a coragem que eles muitas vezes têm que mostrar, falando pelo que acreditam”, prosseguiu a funcionária. “Defensores como Liu Xiaobo podem dar uma importante contribuição para o desenvolvimento da China.” As informações são da Dow Jones.