A petroleira italiana Eni SpA informou neste domingo ter interrompido a produção de suas instalações no Delta do rio Níger, na Nigéria, depois de ataques realizados pelo Movimento pela Emancipação do Delta do Níger (MEND). Um porta-voz da companhia disse que o incidente suspendeu a produção de 4.000 barris de petróleo equivalente por dia.

O grupo militante disse que prosseguirá com os ataques na região do delta. Uma fonte do setor petroleiro no país disse ter quase certeza de que o incidente nas instalações da ENI foi uma sabotagem. No mês passado, sindicatos ameaçaram suspender toda a produção de petróleo do país, a maior da África, por causa da ameaça de retirada de subsídios ao combustível, que depois foi abortada pelo governo.

Neste domingo, o presidente do Senado, David Mark, pediu uma ação decisiva do governo para interromper a deterioração das condições de segurança no país, que segundo ele tornaram-se intoleráveis. O MEND, que foi responsável por uma violenta campanha que interrompeu a produção petroleira do país em ocasiões anteriores, estava praticamente inativo desde uma anistia em 2009, dada pelo governo a seus militantes. Mas o ataque deste domingo pode sinalizar mais distúrbios na região do Delta. As informações são da Dow Jones.